Como treinar e liderar através de dinâmicas e jogos

Como treinar e liderar através de dinâmicas e jogos

por Redação Liderança

Extraido do e-zine da revista Liderança

Como qualquer atividade em sua empresa, é necessário planejar antes de decidir fazer uma ação dessas. Tenha em mente:

» Defina o que você quer realizar com aquilo – Pode ser estimular a criatividade, a tomada de decisões e responsabilidades, o sentido de grupo, o que for.

» Encontre um exercício que se encaixe no que você deseja – Há dezenas de livros sobre o tema em qualquer boa livraria. Você também pode pegar algumas idéias com professores de universidades, psicólogos e especialistas de empresas de treinamento.

» Estruture o encontro – Defina quais os participantes, a data, o local e o motivo pelo qual eles deveriam participar daquele treinamento.

» Pense nos detalhes – Defina materiais (se necessário) e verba (se necessária) para o treinamento, bem como o tempo disponível.

» Mensure os resultados – Encontre maneiras de verificar se o treinamento atingiu seu objetivo. Combine, com cada participante, uma maneira de medir os progressos.

Desses passos, a parte mais complicada é a comunicação do treinamento em questão. Muitas empresas, quando vão se utilizar uma dinâmica de grupo, mandam convites por e-mail que parecem saídos de um bufê infantil. Outras, ao contrário, transformam-se em intimações: “Devido aos prejuízos causados por aquela questão com o cliente Gumercindo, todos os envolvidos estão convocados a participar de uma reunião especial, onde as medidas cabíveis serão tomadas para evitar que acontecimentos similares se repitam”. Quem receber um recado desse já começará a arrumar sua mesa, temendo a demissão.

O melhor é avisar com bastante antecedência e reforçar o aviso, pedindo que a pessoa participe de uma reunião ou treinamento especial. Dessa maneira, as pessoas não entram no treinamento nem com espírito de participar de uma festa de aniversário, nem com medo. Como bônus, o convite neutro estimula a curiosidade e garante uma participação alta em seu treinamento.

Para começar – A seguir, algumas dicas para você entender a importância desse tipo de treinamento para trabalhar:

» Recrutamento e seleção: 18% das contratações envolvem a dinâmica de grupo em seu processo de seleção, segundo pesquisa desenvolvida pelo Grupo Catho. Normalmente, ela é mais usada na contratação de estagiários, trainees e funcionários operacionais, que ganham menos de R$ 2 mil por mês. Tenha em mente que qualquer dinâmica utilizada aqui ajuda a descobrir a personalidade e os valores do candidato – mas elas não substituem as velhas entrevistas e período de experiência. É melhor ser mais vagaroso ao contratar, utilizando todas as ferramentas disponíveis, para não ter que arcar com os custos de uma demissão depois.

» Motivação: Exercícios motivacionais são, via de regra, os mais emocionais. Use e abuse de parábolas, de histórias. As dinâmicas giram em torno de construir algo, de resolver um problema, qualquer ação em que haja um resultado palpável. Muitos giram em torno de construção de maquetes, por exemplo.

» Sentido de grupo: Exercícios enfatizando os grupos reforçam a importância de cada um para o trabalho como um todo. Uma boa alternativa é pegar um daqueles passatempos em que várias pistas são dadas para se descobrir algo, sendo que cada participante recebe uma. Normalmente, sem a contribuição de todos, o exercício não pode ser concluído. Também aqui são válidos vários teatrinhos, várias dinâmicas onde se percebe como diferentes comportamentos ou a contribuição dos outros podem ser úteis.

» Tomada de decisões: Aqui entram dinâmicas do tipo “vocês estão perdidos no deserto…”. E, na realidade, o resultado “certo” pouco importa. Analise quem impõe sua opinião pela força, quem não fala nada, quem tem a melhor solução mas é voto vencido, etc. Tenha também exercícios que verificam a coerência da pessoa. Em diversas situações, ela deve tomar decisões parecidas, e não mudar sempre de opinião.

» Liderança: Novamente, os exercícios são situacionais. A maioria deles pode ser feita apenas com papel e caneta. Discutir a melhor situação em um caso dado, listar qualidades de um líder, entre outros. Exercícios em que entrem em discussão diferentes pontos de vista também são úteis.

» Empreendedorismo interno: Abuse dos exercícios que requerem o uso da imaginação. Situações hipotéticas, que estejam longe da rotina, a princípio. É a lógica de que todos somos técnicos de futebol. Comece com situações longe do dia-a-dia, e vá aos poucos trazendo exemplos mais próximos da realidade para que as pessoas vejam que podem, facilmente, ter idéias e inovações sobre seus próprios trabalhos.

» Redução do estresse: Aqui entram aquelas brincadeiras, aqueles exercícios que todos imaginam quando se fala em dinâmica de grupo. Atividades que geram uma risada, um movimento diferente, uma rápida quebra de rotina para recarregar as baterias. Esse é o único exercício que não necessita de explicação ou repetição. É puramente para descontrair.

Funciona? – Uma dinâmica de grupo bem feita seguramente fica na cabeça de sua equipe, e as lições vão ser lembradas por muito tempo. Algumas vezes, o mote daquela dinâmica vira jargão interno. Assim, se dirá que tal situação é como “cuidar do zoológico” de tal dinâmica, por exemplo. Essa é a maior prova de que as lições foram absorvidas por sua equipe.

Entretanto, o líder deve estar atento para a diferença entre as pessoas de sua equipe. Assim como em uma reunião elas desempenham papéis diferentes, também em uma dinâmica há os que se dão melhor e os que perdem o interesse rapidamente. Veja alguns cuidados:

» Estrelas – São pessoas que querem aparecer, procuram dominar a atividade à força, falando sem parar e sem dar oportunidade aos outros. Cabe a você identificar essas figuras e lembrar-lhes que a idéia da dinâmica é haver uma troca entre todos os participantes, e não um monólogo.

» Ranzinzas – Pessoas que dizem que não deveriam estar ali, “perdendo tempo com brincadeiras”, quando há tanto para fazer. A melhor técnica para usar com essa pessoa é a de tratar a dinâmica da mesma forma que você trata outra reunião importante, como você fez no começo desse artigo. Também enfatize o lado do aprendizado e da mensuração de avanços. Essa praticidade vai agradar tal público.

» Tímidos – Geralmente demoram um pouco para participar. Caso sua equipe tenha muitos integrantes nessa categoria, assegure-se de dar um pouco mais de tempo para a atividade. Procure criar um ambiente aconchegante.

5 responses to this post.

  1. Posted by Rozana Gomes Ventura on 16/09/2009 at 20:47

    Gostaria que me indicassem livros ou sites especificos em jogos e dinamucas, de treinamento e recrutamento. Passo a passo mesmo, interessanrtes e criativos.

    Resposta

  2. Posted by kenia on 06/10/2009 at 22:15

    material para o PI

    Resposta

  3. Posted by lenon nunez on 16/01/2010 at 23:15

    gostaria de receber dicas atualizadas de trinamento e seleção

    Resposta

    • Posted by clubedavida on 17/01/2010 at 07:48

      Lenon, vc pode acessar o site da Revista liderança e se inscrever grátis para ficar recebendo mensagens através do e-zine da revista. Acesse:
      http://www.lideraonline.com.br/ obrigado por participar. Pode contar comigo. Pr. Calvino Brasil

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 52 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: