Capítulo 6 – A Grande Decisão

Nunca Permita que ninguém roube os seus sonhos

Águia ou Peru

Conta-se que um homem, ao passar por altas montanhas trouxe um ovo de águia e conseguiu, não me pergunte como, mas conseguiu fazer com que uma perua que estava chocando, pudesse chocá-lo junto aos seus ovos.

Nasceu uma águia linda entre os perus. Cresceu junto, aprendeu os mesmos hábitos e, na realidade interior, ela era um peruzinho. Comia minhocas, milho, resto de comida, etc; comia do que os homens traziam para eles.

Certo dia, essa águia olha para o céu e avista lá no alto algo majestoso: uma grande águia pairando no espaço e, olhando em volta de si, falou então para o peruzinho seu irmão: mas que ave linda!

Que maravilha! Ah! Se eu pudesse voar como ela… Seu irmãozinho peruzinho falou-lhe sem pestanejar: você não entende que aquela ave é uma águia? Você nunca conseguirá voar daquele modo! Somente as águias voam tão alto. Você tem que se acostumar voando para o poleiro. Pare de sonhar, você é peru, tem que viver a vida de peru. Sabe o que aconteceu? Aquela águia acreditou no peru e esqueceu a voz interior que lhe dizia que ela era uma águia e não um peru. E terminou vivendo como peru até a morte.

Isto tem acontecido com muitos que estão vivendo junto com aqueles que não têm perspectiva de vida e não deixam que os outros possam ter sucesso. Você conhece alguém assim, não é?

Quando uma pessoa tentar lhe desanimar em relação aos seus sonhos é porque essa pessoa é uma derrotada e nunca conseguiu se superar. Seu íntimo teme que alguém possa conseguir sucesso e julgar o seu fracasso.

Nunca permita que ninguém roube os seus sonhos.

Essa estória possui dois finais e você é quem irá decidir o seu final.

Repetindo toda a estória, iremos encontrar a águia naquele momento histórico, quando ela olha para o céu e vê uma grande e majestosa águia.

Algo impressionante começa a revolucionar o seu interior, sua natureza começa a jorrar no seu inconsciente, reprimido pela cultura e hábitos dos perus.

Seu irmão peru começa a desencorajá-la e quanto mais ele fala coisas negativas, mais a certeza de sua identificação de sua real natureza ecoa no seu coração; ela olha para aquela águia adulta que solta um grito, olha para si mesma, enche o peito de fé, abre as asas do seu interior, assume a sua verdadeira identidade, começa a bater as asas e, de repente, encontra-se voando bem alto, apropriando-se do seu próprio espaço para nunca mais voltar a ser peru.

Irá aprender como as águias que vencem tempestades, passando por cima delas; como prover o seu próprio alimento na aventura da caça; enfim, ser livre como as águias o são.

Quero deixá-lo livre para decidir: Ou você irá ouvir os perus que estão ao seu redor e só sabem ser medíocres, que mesmo possuindo grandes asas não sabem voar, ou você irá descobrir que sua natureza é outra e que o espírito da grande águia está em você, e que você é águia e não peru.

Vou lhe mostrar outra ilustração para que a mensagem desejada tenha um melhor efeito. Está provado que nós guardamos muito mais informações quando elas nos chegam em forma de estórias.

Torna-se difícil lembrarmo-nos de uma lição de geografia de quando ainda estávamos no ensino fundamental, mas da estória de Branca de Neve e os sete anões, nós nos lembramos muito bem. Nossa mente retém essa informação bem legível.

O objetivo deste trabalho é levar algo que realmente possa causar um impacto que lhe desperte a mudar sua forma de pensar, se você está vivendo entre os que pensam e agem com negatividade e derrotismo trazidos pelo ambiente em que foi criado.

Agora, veja como uma atitude mental é de tão grande significado:

O Pessimista e o Otimista

Conta-se que dois compadres moravam vizinhos. Um era próspero, dentro de suas condições, e o outro amargava uma vida pessimista e, por isso, derrotada.

Certa manhã, o otimista estava andando com seu filho de dez anos de idade, mostrando-lhe suas posses, quando o garoto perguntou-lhe: pai, por que o senhor possui estas coisas e o padrinho não tem nada?

Pacientemente, o pai, colocando-lhe as mãos nos seus ombros, deu resposta à sua curiosidade: eu vou lhe mostrar, meu filho. Mandou chamar o compadre e mostrou-lhe com muito entusiasmo uma porca que havia dado cria a vários porquinhos e então exclamou:

– Olha compadre, que maravilha! Que coisa mais linda! Daqui a pouco tempo esses porquinhos irão crescer e darão um bom dinheiro para eu realizar outro sonho.

Vou comprar uma antena parabólica. Já imaginou? Seu compadre olhou, olhou, tirou o chapéu de palha, coçou a cabeça, encolheu os ombros e disse: Sei não cumpade, se dé uma peste, os porquinho vão morrê tudinho.”

Enquanto um estava focando em ter em sua casa programas de televisão com mais qualidade e diversidade, pensando em conforto para a sua família, o outro estava vendo uma peste matando os porcos do amigo.

Você conhece pessoas assim? Então, fuja delas! Perus desta natureza só atraem o negativo das coisas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: