Archive for the ‘1’ Category

Mistério do arrebatamento 3

MISTÉRIOS DO ARREBATAMENTO

Terceiro ato.

do livro Imersão Escatológica extraímos o terceiro ato e hoje o tema será a casa de Deus.

 

ONDE ESTÃO AS MORADAS DO ALTÍSSIMO?

A turma foi se acostumando com a Milena e agora se juntaram ao grupo do sorvete mais dois alunos curiosos para conhecê-la melhor. A Carmem e o Bruno chegaram do nada e já se enturmaram.

Depois de uma rodada do geladinho, Ricardo perguntou: – Vocês estão entendendo que a gente precisa mesmo estudar mais a bíblia?

– Confesso que desde a primeira aula que a Milena fez a sua explanação eu fiquei balançada que alguma coisa estava errada com as pregações do Rodolfo, partilhou a Carmem. Essa de hoje foi demais.

É, a gente ler um livro e nunca confere os versículos citados e vai engolindo tudo. Aprendi essa lição hoje; é necessário conferir tudo completou o Bruno.

– Milena e aquele negócio de que a igreja será arrebatada para a casa do Pai no Céu? Desta vez a participação foi de Priscila que é nova convertida e não tem muita bagagem religiosa. Para ela é bem mais fácil entender as coisas, pois não possui bagagem de doutrinas dos homens e o aprendizado com o método da Milena de ler questionado e buscando conferir tudo vai lhe ajudar bastante.

Milena permaneceu calada enquanto Ricardo se arriscou em responder a pergunta da sua namorada. Meu bem, Você entendeu que nós teremos um encontro com Jesus nos ares e que as nuvens estão no firmamento da terra e não no Céu do trono de Deus. Você lembra que Jesus trará consigo os que dormem?

Você já leu que quando Jesus voltar irá com os seus santos pisar no monte das Oliveiras, local de onde ele subiu e foi encoberto por uma nuvem?

– Não, amor; onde está escrito isso? Perguntou a Pri. Sei que é no livro do profeta Zacarias, mas não me lembro o capítulo.

Capítulo quatorze completou a Milena. Jesus vem com os que dormem e num piscar de olhos eles serão ressuscitados, e nós transformados seremos JUNTOS arrebatados para o encontro nos ares. É assim que está escrito e ninguém pode mudar.  A bíblia não fala em nenhum lugar, que será diferente disso.

– Agora você vai ter que me explicar uma coisa que está me incomodando: E a casa do Pai? Não está escrito que nós vamos morar no Céu, nas moradas do Pai? Agora você vai ter que concordar que isso está escrito na bíblia, retrucou o Bruno.

– Pega leve, aparteou a Carmem!

– Tudo bem respondeu a Milena com aquele belo sorriso cheio de graça. A gente precisa entender esse texto e o seu contexto em João 14 e em outras conexões e textos paralelos encontrados nas Escrituras. O Bruno está certo em questionar. Isso é saudável e deve acontecer sempre que tivermos dúvidas.

O problema é que muitos perguntam por que querem saber e outros, com malícia, para humilhar quem está trazendo um novo conceito; o que não é o caso do colega.

A gente terá que ler alguns textos, vocês topam?

– Claro, respondeu a Pri com avidez!

“Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa do meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde eu estou estejais vós também”.

Como a gente viu na aula, esse texto não tem nada a ver com as duas etapas da vinda de Jesus, mas a pergunta é sobre a casa do Pai, As moradas do altíssimo.

Alguém sabe quem mora na casa do Pai?

– O Pai é claro, respondeu Ricardo, prevendo o que viria a seguir.

– Muito bem Ricardo. A sua resposta está correta afirmou Milena. Agora o que é a casa do Pai? Vejamos o que está escrito sobre ela:

“Escrevo-te estas coisas, embora esperando ir ver-te em breve, para que, no caso de eu tardar, saibas como se deve proceder na casa de Deus, a qual é a igreja do Deus vivo, coluna e esteio da verdade”.

Segundo este texto, o que é a casa de Deus? Aqui Paulo diz que a casa de Deus é a igreja, correto? Mas seguindo o critério que eu uso, vamos ver outras confirmações;

“E Moisés era fiel em toda a casa de Deus como servo; para testemunho das cousas que haviam de ser anunciadas; Cristo, porém, como Filho, sobre a sua casa; a qual casa somos nós, se guardarmos firmes até ao, a ousadia da esperança”.

A qual casa somos nós. A casa de Deus somos nós. Vejamos mais dois textos:

 

“Deixando, pois, toda a malícia, todo o engano, e fingimentos, e invejas, e toda a maledicência, desejai como meninos recém-nascidos, o puro leite espiritual, a fim de por ele crescerdes para a salvação, se é que já provastes que o Senhor é bom; e, chegando-vos para ele, pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e preciosa, vós também, quais pedras vivas, sois edificados como

casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo”.

Não está escrito casa de Deus, mas está trazendo claramente o conceito que nós estamos sendo edificados, casa espiritual. 1ped. 2:1-5.

Vejam o texto encontrado na epístola aos efésios:

“Assim, pois, não sois mais estrangeiros, nem forasteiros, antes sois concidadãos dos santos e membros da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra da esquina; no qual todo o edifício bem ajustado cresce para templo santo no Senhor, no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito”. Efe. 2:19-22

Resumindo, nós, como pedras vivas, estamos sendo edificados para MORADA de Deus em espírito. Nós somos as moradas do Pai. E para não restar mais dúvida, vejamos no mesmo capítulo 14 de João, o que está nos mostrando o verso 23:

“Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me amar, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos a ele, e faremos nele morada”. Quem virá fazer morada em nós?

O texto está dizendo que são o Pai e o Filho; eu pergunto por que só o Pai e o Filho?

Vânia que estivera calada o tempo todo arriscou e disse:

– Porque o Espírito já está dentro de nós.

Resposta acertada. Parabéns, Vânia!

Resumindo: será que todos estes textos se relacionam à casa do Pai e as suas moradas que somos nós? Pelo que sabemos Deus não habita em casas feitas por mãos de homens. Agora fica com vocês a interpretação de que nós seremos arrebatados por sete anos e seremos levados para a casa do “Pai nos Céu”.

“Não sabeis vós que sois santuário de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós”? 1Co3.16

Santuário, casa, morada, edifício, tudo aponta para que estas coisas somos nós.

Volte ao texto de João 14: e veja o que é mais coerente. Veja quantos textos diretos e literais foram citados.

A promessa de Jesus no texto é nos levar para o Pai. No verso 6 ele disse: Eu sou o caminho a verdade e ávida e ninguém VEM ao Pai senão por mim. Falou também: “Para onde eu ESTOU estejais vós também”. Algumas versões traduzem: “onde eu estiver”, mas esta tradução está equivocada. Onde Jesus estava? Estava conversando com eles,mas estava no Pai, em outro nível. Para onde ele nos levará? Para o Pai é claro! Vocês lembram que no verso 23, o Pai vem morar em nós?  Dá para entender?

– Ufa! Onde você aprendeu isso indagou Carmem com os olhos arregalados?

– Na bíblia minha querida!

– Vânia fez uma sugestão: Amanhã é Sábado; e se a gente fosse para a minha casa para estudar mais sobre escatologia? Você opa Milena? Sempre solícita Milena deu o sinal de positivo, mas perguntou: e vocês, topam? Todos concordaram. Com tão pouco contato com a Milena, eles estavam vendo paradigmas sendo destruídos.

Depois de se despedirem, cada um tomou o seu rumo, mas o Bruno se aproximou de Milena e disse que gostaria mesmo de aprender mais sobre a bíblia, pois a despeito se ser cristão a mais de dez anos, somente agora estava tomando interesse em saber mais sobre o livro sagrado.

MISTÉRIOS DO ARREBATAMENTO 2

MISTÉRIOS DO ARREBATAMENTO

LIÇÃO 2  ( veja antes A LIÇÃO 1)

Chegou o dia da aula de escatologia. A expectativa era geral. O que será que o mestre irá dizer?

Boa tarde pessoal! Tudo bem com vocês? Depois de uma breve oração, o Pr. Marconi iniciou a aula pedindo que os alunos abrissem suas bíblias em II Tessalonicenses dois.

– Aí vem bomba cochichou Bruno falando para Vânia.

Bem tranqüilo o professor falou: Na aula passada a Milena fez uma ótima explanação do seu ponto de vista. Agora a palavra está com os pré-milenistas. Quem se habilita, perguntou ele?

Todos olharam para o Rodolfo que impelido pela pressão, iniciou sua fala: Todos sabem a minha posição e não é porque aparece uma novata com idéias sem consistência que eu vou mudar de opinião.

De posse do livro de Tim LaHaye e Ed Hindson, “13 Chaves para compreender o fim dos tempos”, asseverou: Vocês sabem quem é o Tim LaHaye? Acredito que todos já assistiram  a série de filmes, “Deixados para trás”.

Sem nenhuma ofensa à nossa colega, não se pode comparar um escritor de fama e experiência internacional com qualquer pessoa que acha que conhece a bíblia.

Imediatamente o professor fez uma intervenção e disse: Calma rapaz! Nós precisamos respeitar uns aos outros. Faça a sua explanação sem ferir a sua colega, pois você sabe muito bem que aquele que se exalta será humilhado.

Desculpe professor respondeu o Rodolfo, foi mal, Milena.

Na página 50 desse livro, os autores afirmam o seguinte:

“As referencias bíblicas à segunda vinda claramente descrevem duas fases distintas. Há simplesmente muitos elementos conflitantes nestas fases para confundi-las em um único evento”.

“Na primeira fase, Jesus virá repentinamente para arrebatar sua igreja nos ares e levar todos os cristãos para a casa de seu Pai em cumprimento à sua promessa EM João 14: 1-3. Lá, eles irão comparecer ante o Tribunal de Cristo (2 Coríntios 5: 9,10) e participarão das bodas do Cordeiro” (Apocalipse 19:1-10).

Viram? É assim que será e está muito clara esta explicação com bases bíblicas citadas. Alguém tem alguma dúvida?

Os alunos se entreolharam, mas ninguém ousou contradizê-lo. Rodolfo conclui dizendo: Neste livro encontramos uma tabela que compara as duas linhas de interpretação e nela encontramos que:

1 – cristo vem para os cristãos nos ares.

2 – Todos os cristãos na terra serão colocados em novos corpos.

3 – Os cristãos serão levados para a casa do Pai no Céu.

4 – Não há julgamento na terra.

5 – A igreja será levada para o Céu.

6 – Pode acontecer a qualquer hora (é iminente)

7 – Não há sinais que o precedem.

Acho que já chega, senão eu vou ter ler o livro todo, conclui Rodolfo se dando por satisfeito.

O professor pergunta alguém quer falar alguma coisa? Quem concorda e quem discorda?

Alguém no fundo da sala gritou, é isso aí Rodolfo!

Para surpresa de todos, Priscila, a namorada de Ricardo pede para falar.

Professor, eu não estou entendendo, mas o Senhor pediu provas bíblicas com textos diretos, claros e literais, mas o Rodolfo trouxe a interpretação de um livro.

Eu não tenho muita experiência, mas achei umas coisas meio esquisitas na explicação. Acho que na aula passada eu entendi que Jesus virá do céu trazendo consigo os que dormem que ressuscitarão e serão arrebatados com a gente. O livro diz que nós iremos para a casa do pai no céu. Segundo estou entendendo haverá um desencontro.

Por coincidência, eu resolvi ler 2Tes.1 pra ver se o contexto ajudaria e encontrei no verso 10 que Jesus vem para ser glorificado nos seus santos. Como é isso, professor?

Antes mesmo que o professor respondesse, Ricardo se antecipa e diz: Professor, por favor, vamos examinar o ensino que está no livro como faziam os de Bereia?

Muito bem Ricardo; esta posição é sábia, vamos examinar juntos esta citação trazida pelo Rodolfo. Temos que colocar à prova todas as coisa e reter o que é bom.

Alguém deseja se pronunciar? Desta vez todos olham para Milena com a cara de quem está dizendo: Aí vem bala!

Muito calma Milena responde: eu prefiro ficar quieta para não gerar uma polêmica. Essa palavra pareceu ser mágica. Aguçou a Turma e a maioria falou em coro: Vai Milena, fala Milena!

O Professor acenou positivamente e Milena se levantou e foi à frente.

Por favor, não me interpretem mal, mas eu sou muito minuciosa e percebo as coisas com facilidade. O autor do livro, afirmou que:

“As referencias bíblicas à segunda vinda claramente descrevem duas fases distintas. Há simplesmente muitos elementos conflitantes nestas fases para confundi-las em um único evento”.

Fiquei esperando que ele citasse essas referencias, que afirmassem que haveria essas duas fazes da vinda do Senhor, mas essas referencias, simplesmente não existem.

Vejam sem nenhuma opinião preconcebida os versos que ele citou para embasar a sua afirmação. Depois de abrir a sua bíblia, Milena leu o texto para a classe.

“Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa do meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde eu estou estejais vós também”.

Meus queridos sejam HONESTOS consigo mesmos. Onde esse texto está afirmando claramente que a vinda de Jesus se dará em duas fases distintas?

Alguém poderá dar uma explicação de como encaixar esse texto nesta na afirmação das duas fases? O silêncio imperou na classe. Até o próprio Rodolfo petrificou-se.

Milena olhou para o professor que acenou com a cabeça que ela continue com sua parte.

Milena tomou o segundo texto citado no livro e leu para a Tuma;

“É por isso que também nos esforçamos, quer presentes, quer ausentes, para lhe ser agradáveis. Porque importa que todos nós compareçamos perante o tribunal de Cristo para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por maio do corpo”.

Esse segundo texto citado no livro visa confirmar que a igreja vai ser arrebatada para comparecer perante o tribunal de Cisto e para as bodas do Cordeiro.

Pela segunda vez pergunto; você já leu o contexto deste texto? Por amor de Deus meus irmãos, aí já é forçar a barra escandalosamente, para não dizer: dolosamente. Este contexto não tem nada a ver com arrebatamento. Leiam o contexto.

Diante de uma aberração dessas, eu peço a intervenção do professor.

Professor, por favor, ou pelas misericórdias de Deus, como rogou Paulo em Romanos doze, não permita que os meus irmãos engulam uma maldade dessas!

Se houve silêncio nas outras vezes, agora nem respiração era ouvida.

O professor, com muita sabedoria e habilidade costumeiras, assumiu a palavra, pois sempre teve o comando em suas mãos. Esse tipo de comportamento, quase que ausente, fazia parte da sua estratégia de treinar os alunos a terem as suas próprias respostas.

Marconi pediu para Milena sentar e começou a discorrer pausadamente. Na aula passada eu pedi para que houvesse quem defendesse a sua posição com textos diretos e literais dentro do contexto geral do tema abordado. A colega Milena trouxe uma explanação sólida e segura usando argumentos da Palavra de Deus, usando um texto que deixa clara a intenção do apóstolo escritor.

Hoje, o colega Rodolfo trouxe, para provar a sua convicção, um livro de um escritor muito famoso, mas não foi muito feliz com a sua escolha, pois os textos usados com tanta veemência, na verdade, foram textos desconexos e fora do contexto do tema por nós estudado.

Portanto, Rodolfo, essa tentativa de confirmar e consolidar a sua interpretação não foi acolhida, mas lhe ofereço mais uma oportunidade de defesa. Sugiro, no entanto, que o senhor procure textos bíblicos que confirmem que a vinda de Cristo se dará em duas etapas. Esqueça livros ou ferramentas de terceiros e seja totalmente bíblico.

Ricardo pede para falar e o professor avisa que ela terá pouco tempo, pois a campainha irá tocar em poucos minutos.

– Quero colocar em cheque aquelas citações que a igreja irá para o céu no arrebatamento e que todos os cristãos terão um corpo novo, e que não há sinais que precedem a vinda do Senhor.

Ok. Diz o professor. Isso veremos na próxima aula, pois o nosso tempo acabou. Exatamente neste momento a campainha tocou anunciando o final da aula.

 

 

 

 

 

MISTÉRIOS DO ARREBATAMENTO 1ª LIÇÃO

MISTÉRIOS DO ARREBATAMENTO

Como prometemos, vamos iniciar postar parte do conteúdo do livro IMERSÃO ESCATOLÓGICA.

Iniciaremos com o terceiro capítulo, que foi colocado em uma didática teatral para que haja um melhor compreensão. Acompanhe até o fim e recomende aos seus amigos e irmãos.

Talvez alguns possam até se sentir agredidos, mas se lerem até o final irão compreender o espírito do estudo. estamos soltando um texto meio extenso, mas necessário para dar uma base para o que virá a seguir. Você irá acompanhar como quem acompanha um seriado: Veja até o fim.

PRIMEIRO ATO

Vejamos agora alguns conceitos das interpretações sobre quando se dará a vinda do Nosso Senhor e Rei. Permita-nos usar uma didática fora da convenção costumeira. Analisaremos de trás para frente. Vamos iniciar com questões relativas ao pós tribulacionismo.

Para facilitar a nossa compreensão, criaremos personagens que discutirão  entre si tentando achar um denominador comum. Por uma questão de espaço e tempo, desconsideraremos os que acreditam que a tribulação acontecerá no meio da tribulação, pois polarizaremos o raciocínio entre os que acreditam que irão sofrer a tribulação, os mide e os prós, e os que acham que serão imunes ao sofrimento descrito.

O primeiro personagem será chamado de Rodolfo, um pré-tribulacionista convicto e duro de ser convencido, mas não tem o espírito investigativo. Quando as coisas lhe parecem contrárias ele as rejeita de primeira.

O segundo personagem é uma irmã e será chamada pelo nome de Milena. Muito inteligente, mas desconhecida, pois acabou de se mudar para a cidade e igreja do Rodolfo.

Tudo começou em uma classe de estudo do curso de teologia onde o assunto era escatologia. O tema ministrado pelo professor Marconi era exatamente a segunda vinda de Cristo. Este era experiente, sábio, moderado e dominava muito bem o assunto em pauta.

A DOUTRINA DA PÓS-TRIBULAÇÃO

Marconi inicia a aula falando sobre as três linhas de interpretação a respeito da vinda de Cristo. Mostra com poucas palavras peculiaridades das interpretações e resolve iniciar falando sobre o pós-tribulacionismo.

A turma era composta por quinze alunos, todos de nível universitário. Ele questiona a turma pedindo que os alunos se manifestem sobre as suas linhas interpretativas. A maioria era pré com a exceção de Milena e outro irmão de nome Ricardo. Havia alguns que não tinham opinião formada.

Vamos iniciar o nosso estudo com o texto de 2Tessalonicenses capítulo 2. Falou o professor, Pr. Marconi, mestre especializado no tema.

“Ora, quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com ele, rogamos-vos, irmãos, que não vos movais facilmente do vosso modo de pensar, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola como enviada de nós, como se o dia do Senhor estivesse já perto. Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição, aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, apresentando-se como Deus”.

Respondam-me: Por que Paulo estava dando esta exortação?

Ricardo se antecipa e responde dizendo que estava havendo uma doutrina que estava perturbando a fé daquela igreja dizendo que o dia do Senhor estava perto.

O professor coloca uma pimentinha. Você está dizendo que eles pregavam a iminência da vida de Cristo? Correto, respondeu Ricardo. Sabiamente o professor voltou ao texto que julga riquíssimo em informações que favorecem os pós-tribulacionistas.

Eu tenho algumas coisas que gostaria que vocês atentassem:

1 – Ao iniciar esta exortação Paulo cita “a” vinda do Senhor e a nossa reunião com ele, dando a entender que só haveria uma vinda, pois o pronome está no singular. Rodolfo foi logo discordando e afirmando, que não era assim. O Senhor vem arrebatar a Igreja e depois das bodas acontecerá a vinda. A maioria concordou co Rodolfo.

Milena, que era novata estava calada, mas pediu a palavra e disse: colega, se avançarmos no texto iremos encontrar que Paulo estava se referindo à nossa reunião com o Senhor e que isso seria em um só evento e não em dois. Nesse momento começou haver tumulto na sala e o mestre teve que intervir.

– Calma pessoal! Eu quero que vocês usem a razão e procurem fazer uma exegese do texto sem idéias preconcebidas. Afinal esta não é uma turma de crianças na fé. Nada que a maturidade, sabedoria e flexibilidade não resolva.

Rodolfo nos traga algum texto literal e direto que confirme que a vinda de Jesus se dará em duas vezes. Que haverá um arrebatamento secreto e, sete anos depois, a vinda propriamente dita, falou o professor!

Rodolfo olhou para os colegas que pensam como ele, no entanto, não se pronunciou. — Professor, disse ele; nós iremos buscar essa prova. E na próxima aula traremos, pode ser?

O Professor se dirigiu a Milena e fez a mesma cobrança. Muito bem Milena; você pode provar isso com textos diretos e literais? Não vale textos figurativos ou interpretativos. Tem que ser claros e conectados com o contexto do tema que está espalhado na Palavra.

– Professor, falou a Milena; o senhor me dá cinco minutos para fazer  isso?

– Claro! Vocês estão aqui para aprenderem a defender biblicamente as suas teorias. Mostre então o seu posicionamento.

Ainda meio acanhada, a novata pede para que todos abram suas bíblias em 1 Tess. 4:13-17.

“Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais como os outros que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, assim também aos que dormem Deus, mediante Jesus, os tornará a trazer juntamente com ele. Dizemo-vos, pois, isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, de modo algum PRECEDEREMOS os que já dormem.

Este é o texto clássico sobre o arrebatamento e todos concordam com isso. Não quero saber mais que ninguém, mas vou apenas atender ao pedido do nosso mestre, continuou Milena, agora com mais firmeza.

Não vou comentar esse texto todo, pois tem muitas revelações nele e acredito que o professor nos mostrará mais adiante. Vejam o verso 14 e 15:

“Porque, se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, assim também aos que dormem, Deus, mediante Jesus, os tornará a trazer juntamente com ele”.

“Dizemo-vos, pois, isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, de modo algum PRECEDEREMOS os que já dormem”.

Paulo está dizendo no verso 14 que Jesus trará consigo os que dormem; concordam?

No verso 15 ele diz que nós não os precederemos. Note que ele disse de modo nenhum nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados antes deles.

Vocês estão acompanhando o raciocínio? Veja uma confirmação no próximo verso:

Porque o Senhor mesmo descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.

Depois nós, os que ficarmos vivos seremos arrebatados juntamente com eles, nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”.

Eles ressuscitarão primeiro. Está claro e literal. Somente depois, nós os vivos seremos arrebatados JUNTAMENTE com eles. Ora, se eles ressuscitarão primeiro, não tem como se entender que nós seremos arrebatados sete anos ANTES deles. Seria uma incoerência muito grande; não faz sentido.

Mas, professor; note que Paulo falou sobre o encontro ou reunião com ele. Este é um só evento. Os que dormem ressuscitam primeiro e depois chega a nossa vez; isso num piscar de olhos. Não podemos torcer a ordem dos fatores. Eles primeiro e depois nós, e isso no mesmo evento e tão rápido como num piscar de olhos. Correto? Torcer estes fatos tão claros é no mínimo deslealdade com a verdade bíblica, concluiu Milena.

Houve um silêncio sepulcral na sala e o professor aproveitou para desafiar os alunos da linha pré para, pesquisarem mais e na próxima aula poderem trazer algo que contradiga a bela explanação da Milena, lembrando que o texto da nossa aula é 2 tess. 2, pois tem muita coisa ainda a ser visto lá. Este texto foi uma comprovação usada pela nossa colega. Nisso, a campainha toca e a aula foi encerrada.

No intervalo ninguém ousou questionar a Milena, mas Ricardo e sua namorada Priscila se chegaram para parabenizá-la pela explicação tão clara. O casal a convidou para tomar um sorvete a fim de se conhecerem melhor.

Depois de momentos de quebra-gelo, Ricardo ousou perguntar. Milena, como você aprendeu explicar um texto que todos nós conhecemos, mas que nunca atentamos para aqueles detalhes?

Eu sempre fui curiosa e nunca me conformei com explicações evasivas. Na minha igreja o ensinamento era pré-tribulacionista, mas, lá no fundo do meu entendimento, algo me deixava inquieta. Então dei toda a carga em pesquisas nos textos que falavam sobre esse tema e gastei várias horas estudando, mas vou te contar o segredo: Você ora e pede ao Espírito Santo que te dê espírito de sabedoria e conhecimento pleno para que os olhos do coração sejam iluminados conforme está escrito em Efésios 1:15 em diante.

Priscila, que era nova convertida só arregalava os olhos, mas não falava nada.

Olha Ricardo; esse tema é muito claro e existem várias citações diretas e literais como essa que apresentei na aula.

O que me deixava insegura na doutrina pré, era que ninguém conseguia me dar um versículo que afirmasse que a vinda de Jesus se daria em duas etapas. Quantas vezes eu apertava meu pastor, mas ele sempre vinha com explicações evasivas citandos ilustrações e textos interpretativos que poderiam ter mais de uma conclusão.

Confesso que perguntava por que queria ter firmeza para sustentar a minha fé em relação a isso.

Ricardo confessou que era incluído entre os pós, porque esta era a doutrina da sua igreja e, como tinha nascido espiritualmente nela, não conheciam a fundo as outras interpretações. Quando vi sua firmeza, fui despertado a estudar as outras linha de interpretação também. Milena o aconselhou a fazer isso mesmo.

– Será muito bom para você saber o que os outros pensam. Só lhe aconselho a não aceitar qualquer doutrina porque a maioria pensa assim. Use uma regra fundamental: Base bíblica direta, literal e conectada com contexto geral do tema que você estiver estudando. Texto fora de contexto gera pretexto para embasar qualquer doutrina herética.

Nesse momento Priscila arriscou fazer uma pergunta: Milena, não leve a mal, mas você teria outro texto que afirme que não haverá um rapto secreto da igreja para as bodas do Cordeiro?

Milena, pacientemente, deu um leve sorriso de aceitação da pergunta e disse: Minha querida vamos usar aquele texto que o professou usou na aula. Nele encontramos Paulo se referindo à vinda do nosso Senhor onde teremos o nosso encontro com ele entre nuvens. Lembra que na passagem que citei, o ensinamento é que nesse encontro terão três elementos? Isto é: O Senhor, os que virão com ele e ressuscitarão primeiro, e os vivos que serão transformados e arrebatados JUNTAMENTE COM ELES.

Os mortos ressuscitarão primeiro que nós. Então nós não os precederemos. Você lembra o texto de 2Tes. 2? Abriu a bíblia do celular e mostrou:

“Ora, quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com ele, rogamos-vos, irmãos,

2Ts2.2 que não vos movais facilmente do vosso modo de pensar, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola como enviada de nós, como se o dia do Senhor estivesse já perto.

2Ts2.3 Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição”

2Ts2.4 aquele que se opõe e se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, de sorte que se assenta no santuário de Deus, apresentando-se como Deus”.

Esse texto, como o texto de 1tessalonicenses quatro, fala de uma só vinda, um só encontro. Paulo ainda adverte que não podemos permitir que ninguém nos engane. Note que a ordem dos fatos nos dois textos são a mesma: a vida e o encontro.

Nunca esqueça que nesse encontro, que pode ser chamado de vinda ou arrebatamento, estarão participando, os ressurretos primeiro, e depois os vivos transformados. Concorda? Então por que ensinam que os vivos serão arrebatados primeiro? Esse raciocínio está totalmente incoerente. Está fora de ordem e conflita nos dois textos.

Isso me deixava intranqüila, então resolvi ouvir a Paulo e não aos teólogos que inverteram essa verdade clara e literal. Paulo disse: não se deixem enganar. Ele sabia que, na igreja entrariam inspirações enganosas.

Priscila deu uma tapinha no ombro de Milena e disse: Amiga, você me convenceu.

Por outro lado, alguns alunos, aqueles que não possuíam um posicionamento firmado foram para outro lugar para comentar sobre a aula, especialmente sobre a resposta da Milena.

Bruno, Vânia, Tony e Carmem Foram saborear um açaí na tigela e a Vânia cutucou: Gente, que é que é isso? Vocês viram essa Milena? Até o Professor ficou calado!

– Ah! Mas você o conhece; fica só na dele, depois é que opina, retrucou a Carmen.

Tony pergunta espantado será que só eu vi isso, mas parece que a novata está certa. Ela foi muito segura, mas não foi pela segurança dela. Como bom mineiro eu digo: Aquele trem estava bem ali na nossa vista e nós nunca tínhamos visto por aquela ótica.

– É mesmo disse Bruno. Aquele lance de que a gente não pode ser arrebatado antes dos mortos que vem com Jesus, e que ressuscitam primeiro, me deixou uma pulga atrás da orelha. Tem lógica, mano! E agora? Deixa ver se entendi; ela disse que nós não podemos preceder os que dormem porque eles ressuscitarão antes… Carmem interrompeu e alertou,

– ela disse, não; está escrito isso; logo, não é coisa da sua cabeça. A gente precisa ficar de olho nessa menina. Ela parece que sabe das coisas mesmo.

Eu só queria saber como está a cabeça de Rodolfo depois dessa, falou Vânia com um sorriso sarcástico.

Também não é por aí. Vamos esperar a próxima aula. Tenho certeza que o Rodolfo irá encontrar uma solução, interrompeu Tony. O que acontece é que precisamos ficar mais espertos e estudar mais.

 

 

OS MISTÉRIOS DO ARREBATAMENTO

Pretendo comentar com você o tema de um livro que lancei recentemente no Encontro IMERSÃO ESCATOLÓGICA E PROFÉTICA que aconteceu na cidade de Garanhuns entre 15-17 de Junho de 2017.

Muita gente tem dúvida sobre a vinda do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, e, por existirem várias interpretações, o tema chega a ser fascinante ou amedrontador para alguns.

Gostaria estudar com você usando toda honestidade e temor do Senhor, para que não incorramos no perigo de distorcer a revelação bíblica contextual.

Para que não sejamos levados por todo vento de doutrina, torna-se necessário que aprendamos analisar uma doutrina buscando conexões e paralelismos dentro de um contexto geral.

Em relação às linhas interpretativas “pré”, “mide” ou “pós”tribulacional , existe uma urgente necessidade que os santos do Altíssimo sejam maduros, não permitindo que a infantilidade espiritual nos separe.

a sabedoria nos ensina que devemos ser pré-tribulacionistas, mas que também estejamos preparados para passar pela grande tribulação, caso a outra interpretação estiver correta.

Darei 48 horas a partir de agora para que você possa avisar aos seus amigos que estaremos repartido um profundo estudo que poderá tirar todas as suas dúvidas em relação ao tema.

Por favor esteja no próximo sábado conosco e traga o maior número de amigos das suas redes sociais para desvendarem esse mistério, e no final da sequência, estarei disponibilizando gratuitamente o livro com todos detalhes.

SÓ NÃO VÊ QUEM NÃO QUER

SÓ NÃO VER QUEM NÃO QUER

Paulo foi um irresponsável?

Foi quem mais escreveu epístolas e não ensinou como se deve proceder para que a igreja tivesse sucesso. Não teve uma visão espiritual afinada com o bem estar dos fieis. Nunca ensinou que os cultos deveriam ter uma liturgia recheada de atrações para poder prender as pessoas na igreja.

O que seria da igreja sem grupos de dança e gestos? Paulo nunca ensinou isso. Paulo nunca ensinou que a igreja precisa de bandas tocando músicas que fossem sucessos na mídia. O que seria dos pastores se não tivessem grupos que se identificassem com os gostos dos jovens? Tem que ter rock da pesada tem que ter rap, rip-rop, como segurar os jovens na igreja sem as festas juninas para Jesus? Ta vendo que Paulo era limitado e não tinha visão?

Outra negligencia nos ensinamentos do apóstolo, está no fato de que ele nunca ensinou a igreja a fazer campanhas e correntes. Nunca ensinou que quando a igreja promove uma campanha de sete reuniões, são sete oportunidades para sete ofertas gordas para alimentar o caixa da igreja ou a ostentação dos seus pastores.

O pior é que Paulo não ensinou, que para crescer, a igreja precisaria de muito dinheiro e que precisava vender muitos elementos ungidos, como é o caso de óleo ungido, lenços ungidos, meias ungidas, fronhas ungidas, lençóis ungidos para abençoar o sexos dos casais que estão atravessando problemas. Paulo nunca ensinou que a igreja deveria vende colher de pedreiro ungida para abençoar os fieis a serem prósperos, água ungida para a cura dos que comprarem um fraquinho tipo acetona por até mil reais. Veja que prejuízo Paulo causou a igreja sem trazer uma revelação desse porte. Paulo nunca ensinou que se o jovem quiser passar em um concurso público, ou no ENEN ou Vestibular, era só comprar uma caneta ungida. Já pensou que desperdício? Quanto a Igreja primitiva perdeu? Tudo porque Paulo não ensinou essas revelações importantes para o crescimento e desenvolvimento da igreja.

No lugar disso, Paulo ensinou que se fosse pregado outro evangelho além do que ele ensinou que fosse considerado anátema.

Paulo ensinou que nos últimos dias a igreja receberia espíritos enganadores e ensinos de demônios.

Veja o que Paulo resolveu ensinar:

Se alguém ensina alguma doutrina diversa, e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, injúrias, suspeitas maliciosas, disputas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade é fonte de lucro; e, de fato, é grande fonte de lucro a piedade com o contentamento. 1Tim. 6:3-6

Parece que Paulo não entendia nada de evangelho… Ou somos nós que estamos sendo levados por todo vento de doutrinas?

Responda essa pergunta!

Calvino Brasil

2017 O RETORNO

2017 é um ano atípico e por isso resolvi retornar mais uma vez reativar este canal de comunicação, para, desta vez enfocar temas escatológicos de difíceis interpretação.

Agradeço àqueles que continuaram nos acessando, mesmo durante um período de inatividade.

A partir desta data estaremos postando artigos que prenderão a atenção daqueles que se importam com o que está acontecendo no mundo nestes dias.

Um abraço, aguarde a primeira BOMBA deste retorno.

Calvino Brasil

Estamos de volta

Depois de algum tempo parado por problemas técnicos e até mesmo, falta de tempo, estaremos retomando as publicações neste blog. Esperamos contar com a sua compreensão e participação, pois traremos temas polêmicos para a reflexão e discussão.

Um Abraço

Calvino Brasil