A Crise

Muito se comenta do quanto a internet está aproximando continentes e classes sociais diferentes. Eu diria que ela está indo além e já começa a aproximar mundos distintos, mais especificamente, o mundo dos mortos e o dos vivos. Em meio aos milhares de lixos que recebo por e-mail, um texto muito bem escrito e interessante sobre a crise chegou até mim. E mais, dizia se tratar de um texto de Einstein, o que me deixou ainda mais curioso, pois parecia bastante atual.

Qual não foi a minha surpresa ao descobrir que a obra atribuída a Einstein era, na verdade, um texto de meu amigo Maurício Góis, praticamente na íntegra? Ele mesmo brincou com o fato, dizendo que Einstein se levantou do túmulo para plagiá-lo.

Brincadeiras à parte, o fato é que a obra está atravessando continentes com o crédito modificado. Uma injustiça com o autor, que teve o trabalho de criá-la, e um crime de propriedade intelectual. Por isso, nesta semana, resolvi fazer justiça e atribuir o texto a quem ele realmente pertence. Além disso, gosto da visão de Góis sobre a crise e queria debatê-la contigo.

Crise
“A crise é a melhor benção que pode acontecer às pessoas e países, porque ela traz progresso – a criatividade nasce da angústia e o dia lindo vem do ventre da tempestade escura. É na crise que surge a invenção, a descoberta, a reflexão e as grandes estratégias do ‘marketing do amor’. Quem supera a crise supera a si mesmo sem ficar superado. E aquele que pendura no gancho da crise seus fracassos e lamúrias violenta seu próprio talento e tem mais respeito aos problemas que às soluções.

A crise é uma farsa, a não ser a crise de incompetência, pois o problema das pessoas e dos países é o de autogerência. Sem crises, não há desafios e, sem desafios, a vida é uma rotina que chama o túmulo. Sem crise, ninguém tem méritos. É só na crise que você mostra que é bom, pois, sem ela, todo vento é carícia.

Por isso, falar da crise é promovê-la, e calar-se na crise é exaltar o conformismo. Em vez disso, trabalhe duro, desinflacione a crise de você mesmo e acabe de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a da tragédia de não saber por onde começar.”
Maurício Góis

Para saber mais sobre o autor, visite o site: http://www.mauriciogois.com.br ou entre em contato com ele por meio do e-mail: contato@mauriciogois.com.br.

E você, qual é a sua visão sobre a crise? Ela foi avassaladora em sua empresa ou acabou trazendo benefícios? Divida conosco essa experiência. Acesse já a Comunidade VendaMais e participe da enquete sobre a crise. Se você ainda não possui cadastro, basta acessar http://www.comunidadevendamais.com.br e fazer gratuitamente o seu.

Aproveito este editorial para iniciar uma campanha: compartilhe os e-mails que você julga interessante, mas certifique-se de quem realmente produziu o material. Não ajude a disseminar um crime!

Um abraço e boa$ venda$,

Raúl Candeloro

Site VendaMais http://www.vendamais.com.br
Twitter Raúl Candeloro http://twitter.com/raulcandeloro

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: