A Bíblia Católica Condena.

A Bíblia Católica condena FAZER e REVERENCIAR/ADORAR imagens de escultura de homem ou mulher.

Por que a IGREJA CATÓLICA não obedece?

Fazem muitas imagens, acendem-lhes velas, rezam para as imagens, entoam cânticos às imagens, seguem em procissões com as imagens nas costas, rezam missas com súplicas às imagens… E são muitas com diversos nomes! Há uma que recebeu vários nomes.

Na Bíblia não encontramos qualquer servo de Deus acendendo velas aos querubins, nem os carregando em procissões, nem rezando missas a eles, nem entoando cânticos de adoração/veneração aos mesmos…

NA BÍBLIA NÃO HÁ: AVES MARIAS, CREDOS, SALVE RAINHAS, TERÇOS, NOVENAS, ETC.

NA BÍBLIA NÃO HÁ IMAGEM DE MARIA, PEDRO, JOÃO OU QUALQUER OUTRO SERVO DE DEUS.

Leia os textos abaixo EXTRAÍDOS DE BÍBLIAS CATÓLICAS:

BÍBLIA CATÓLICA DA CNBB – CONFERÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL

http://www.cnbb.org.br/ns/modules/mastop_publish/?tac=162

(“A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) é a instituição permanente que congrega os Bispos da Igreja católica no País, na qual, a exemplo dos Apóstolos, conjuntamente e nos limites do direito, eles exercem algumas funções pastorais em favor de seus fiéis e procuram dinamizar a própria missão evangelizadora, para melhor promover a vida eclesial, responder mais eficazmente aos desafios contemporâneos, por formas de apostolado adequadas às circunstâncias, e realizar evangelicamente seu serviço de amor, na edificação de uma sociedade justa, fraterna e solidária, a caminho do Reino definitivo”…)

http://www.bibliacatolica.com.br/02/2/20.php

Êxodo 20:
1. Deus pronunciou todas estas palavras:
2. “Eu sou o SENHOR teu Deus, que te tirou do Egito, da casa da escravidão.
3. Não terás outros deuses além de mim.
4. Não farás para ti imagem esculpida, nem figura alguma do que existe em cima nos céus, ou embaixo na terra, ou nas águas debaixo da terra.
5. Não te prostrarás diante dos ídolos, nem lhes prestarás culto, pois eu sou o SENHOR teu Deus, um Deus ciumento. Castigo a culpa dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração dos que me odeiam,
6. mas uso de misericórdia por mil gerações para com os que me amam e guardam os meus mandamentos.

http://www.bibliacatolica.com.br/02/5/4.php

Deuteronômio 4:

16. Guardai-vos bem de corromper-vos, fazendo figuras de ídolos de qualquer tipo, imagens de homem ou de mulher,

http://www.bibliacatolica.com.br/02/21/115.php

Salmos, 115

1. Não a nós, Senhor, não a nós, mas a teu nome dá glória, por tua graça e por tua fidelidade.
2. Por que os povos deveriam dizer: “Onde está o Deus deles?”
3. Nosso Deus está nos céus, realiza tudo quanto quer.
4. § Os ídolos das nações são prata e ouro, feitos por mãos humanas;
5. têm boca e não falam, têm olhos e não vêem,
6. têm ouvidos e não ouvem, têm nariz e não cheiram.
7. Têm mãos e não palpam, têm pés e não andam; da garganta não emitem sons.
8. Sejam como eles os que os fabricam e todos os que neles confiam.

http://www.bibliacatolica.com.br/02/32/6.php

Baruc, 6

1. Por causa dos pecados que cometestes contra Deus é que estais sendo levados para a Babilônia sob a ordem do rei Nabucodonosor.
2. Após chegardes à Babilônia, lá ficareis por uma era completa, um longo tempo, ou seja, sete gerações. Depois disso vou tirar-vos de lá em paz.
3. Por enquanto tereis de ver na Babilônia esses deuses de prata, de ouro ou de madeira, que costumam ser carregados aos ombros e que provocam temor religioso entre os gentios.
4. Cuidado, então, para não ficardes parecendo esses estrangeiros nem vos deixardes influenciar pelo temor para com esses deuses.
5. Quando, então, virdes multidões ajoelhadas na frente e atrás deles, pensai lá dentro de vós mesmos: “É só a ti, Senhor, que devemos adorar!”
6. O meu anjo está sempre convosco, ele pedirá contas de vossa vida.
7. A língua desses deuses foi feita por um artista, está coberta de prata ou ouro, mas é de mentira, é incapaz de falar.
8. Como se esses deuses fossem moça vaidosa, logo que lhes chega à mão algum ouro, mandam fazer
9. uma coroa para colocar na cabeça deles.
9. De vez em quando os sacerdotes, tiram o ouro ou a prata desses deuses para seu próprio uso e
10. entregam também às prostitutas no bordel.
10. Com roupas adornam esses deuses de prata ou ouro e madeira como se eles fossem gente.
11. Mas eles são incapazes de se livrarem da ferrugem ou do caruncho.
12. Depois de cobri-los com roupas de púrpura, devem limpar-lhes a face por causa da poeira do templo que lhes caiu em cima.
13. Um fica com um cetro na mão como se fosse uma autoridade da região, mas não é capaz de matar quem o insulta.
14. Outro tem um punhal ou uma machadinha na mão, mas não consegue defender-se de um agressor ou de um ladrão.
14. Por aí se vê que não são deuses coisa alguma.
15. Então não lhes tenhais temor.
15. Como uma vasilha de uma pessoa que, ao quebrar, perde a serventia, assim também são esses deuses deles,
16. instalados em seus templos.
16. Seus olhos vivem cheios da poeira levantada pelos pés de quem entre no templo.
17. Como se fecha todo o recinto em torno de alguém que ofendeu o rei, até que seja condenado à morte, assim também os sacerdotes fecham seus templos com portas, trancas e ferrolhos, para que seus deuses não sejam espoliados pelos ladrões.
18. Acendem mais lâmpadas para eles do que para si mesmos, embora os deuses não sejam capazes de ver coisa alguma.
19. Parecem o madeiramento do templo, cujo cerne dizem que está carunchado pelos cupins saídos do chão. Também nada sentem quando vão lhe corroendo a roupa ou a eles próprios.
20. Seu rosto fica preto por causa da fumaça do templo.
21. Em volta deles, por cima de suas cabeças voam morcegos, andorinhas e outros pássaros e até gatos saltam.
22. Por aí se vê que não são deuses coisa alguma. Então, não lhes tenhais temor.
23. Quanto ao ouro de que são cobertos para ficarem bonitos, se ninguém lhes dá lustro, não brilha. Eles mesmos nem quando foram fabricados sentem coisa alguma.
24. Foram comprados por um preço muito caro, mas não existe vida dentro deles.
25. Sem pés são carregados ao ombro, mostrando a todo o mundo que nada valem. Deveriam envergonhar-se aqueles que os cultuam, pois se um deus desses cai ao chão, eles é que devem apanhá-lo.
26. Se os colocam eretos e de pé, por si mesmos não são capazes de andar. Se tombam, não podem erguer-se. São como as coisas mortas das quais lhes fazem oferendas.
27. Para seu proveito próprio os sacerdotes vendem o que foi sacrificado a esses deuses. Outra parte suas mulheres salgam, sem dar nada para o pobre ou para o mais fraco. Até uma mulher menstruada ou que acabou de dar à luz tocam nesses sacrifícios.
28. Por aí se vê que não são deuses. Não lhes tenhais temor.
29. Como poderiam ser deuses? São mulheres que oferecem sacrifícios a esses deuses de prata, ouro e madeira.
30. Nos templos deles também os sacerdotes circulam com roupa rasgada, barba e cabelos cortados e com a cabeça descoberta.
31. Bradam e gritam diante dos seus deuses como se estivessem em cerimônias fúnebres.
32. Os sacerdotes tiram as roupas dos deuses para vestirem suas mulheres e crianças.
33. E eles, quando sofrem alguma agressão ou recebem algo de bom, são incapazes de retribuir. São incapazes de dar ou de tomar o poder real de alguém.
34. Da mesma forma não podem dar riqueza ou dinheiro a ninguém. Se alguém lhes fizer alguma promessa e não pagar, eles não poderão cobrar.
35. Não podem salvar ninguém da morte, nem livrar o fraco da mão do poderoso.
36. Nem podem devolver a vista a um cego nem livrar um pobre da miséria.
37. Não têm como se compadecer da viúva nem como prestar ajuda ao órfão.
38. Esses deuses de madeira prateada ou dourada parecem pedras tiradas do morro, quem os cultua só vai passar vergonha.
39. Como pensar ou dizer que são deuses?
40. Até mesmo os caldeus os desrespeitam. Quando vêem um mudo, incapaz de falar, apresentam-no ao deus Bel, pedindo que o faça falar, como se ele fosse capaz de perceber as coisas.
41. E não são capazes de raciocinar e deixar disso, pois não têm inteligência.
42. Mulheres põem uma corda à cintura e sentam-se à beira do caminho, queimando farelo.
43. Quando uma delas é levada por algum homem que passa, a fim de dormir com ele, começa a desprezar a companheira que não teve a mesma honra, nem desatou a sua corda.
44. Tudo o que fazem é falso. Como pensar, então, ou dizer que são deuses?
45. Foram fabricados por artistas que trabalham com madeira e com ouro. Não podem, pois, ser mais do que aquilo que os artistas queriam que fossem.
46. Estes que os fizeram não têm tanta idade, como é, então, que aquilo que eles fizeram pode ser um deus?
47. O que deixaram foi mentira e ilusão para seus descendentes.
48. Quando, acaso, vem uma guerra ou catástrofe muito grande, os sacerdotes discutem como vão se esconder juntamente com eles.
49. Dá, então, para entender que não são deuses essas coisas incapazes de se livrarem a si mesmos nem de uma guerra, nem de qualquer catástrofe.
50. Não passando, pois, de objetos de madeira, dourados ou prateados, fiquem todos sabendo que são de mentira. Fique claro para todos, povos e reis, que não são deuses, mas criação do engenho humano, e que nenhuma ação divina neles existe.
51. Quem não sabe, então, que eles não são deuses?
52. Nunca hão de fazer surgir um rei para uma região ou de mandar uma chuva para os homens.
53. Jamais vão defender a própria causa ou libertar algum injustiçado, pois nada podem como gralhas entre o céu e a terra.
54. Se acaso aparecer um fogo no templo desses deuses de madeira dourada ou prateada, seus sacerdotes poderão fugir para se salvar, mas eles serão queimados junto com o madeiramento.
55. São incapazes de resistir a um rei ou ao inimigo.
56. Como, então, se pode aceitar ou imaginar que sejam deuses?
57. Nem dos ladrões ou assaltantes esses deuses de madeira dourada ou prateada podem escapar. Mais fortes, os ladrões lhes arrancam o ouro ou a prata e vão-se embora carregando também as roupas que os deuses vestiam, sem que estes possam acudir a si mesmos.
58. É bem preferível ser um rei que mostra bravura ou, até mesmo, um objeto de utilidade doméstica de que o dono se possa servir, do que ser um desses falsos deuses. É melhor ser uma porta, que pelo menos protege o que está dentro de casa, do que ser um desses falsos deuses. É preferível até ser uma coluna de madeira no palácio do rei.
59. O sol, a lua e as estrelas, brilhando, cumprem espontaneamente a missão de ser úteis.
60. Também o relâmpago, bonito quando aparece, o vento que sopra em toda a região
61. e as nuvens que obedecem quando Deus as manda percorrer o mundo inteiro, até o fogo, mandado lá de cima para acabar com as serras e as matas, todos cumprem o que lhe está determinado.
62. Esses deuses, porém, nem pela aparência nem pela força se podem comparar a qualquer uma destas coisas.
63. Por aí não se pode pensar nem dizer que sejam deuses, pois são incapazes de promover a justiça ou de fazer qualquer coisa de bom para os homens.
64. Sabendo, pois, que eles não são deuses, não lhes tenhais temor.
65. Aos reis eles não podem amaldiçoar nem abençoar.
66. Não podem servir de sinais no céu para os gentios, pois nem brilham como o sol, nem são claros como a luz.
67. Até os animais silvestres valem mais do que eles, pois os animais silvestres podem fazer alguma coisa por si mesmos, podem ao menos fugir para um esconderijo.
68. Por nada, então, eles mostram ser deuses. Por isso, não lhes tenhais temor.
69. Como um espantalho na plantação de pepinos, que nada vigia, assim também são estes seus deuses de madeira dourada ou prateada.
70. Parecem também uma árvore no quintal, onde os passarinhos vêm pousar, ou, então, um cadáver jogado na cova escura, estes seus deuses de madeira dourada ou prateada.
71. Pelas roupas de púrpura ou linho que vão apodrecendo em cima deles já se pode saber que não são deuses. Eles também são corroídos e tornam-se uma humilhação para o país.
72. É melhor, pois, ser uma pessoa correta, que não tem ídolos, porque assim ficará longe da gozação.

http://www.bibliacatolica.com.br/02/12/18.php

II Reis, 18

No terceiro ano de Oséias filho de Ela, rei de Israel, tornou-se rei Ezequias filho de Acaz, rei de Judá.

Tinha vinte e cinco anos quando começou a reinar e reinou vinte e nove anos em Jerusalém. Sua mãe chamava se Abi e era filha de Zacarias.

Ele fez o que era reto aos olhos do SENHOR, assim como o fizera Davi, seu pai.

Destruiu os lugares altos e quebrou as colunas sagradas, derrubou o tronco sagrado e despedaçou, inclusive, a serpente de bronze feita por Moisés, pois os filhos de Israel ainda queimavam-lhe incenso ( chamava-se Noestã ).

Ezequias pôs sua confiança no SENHOR, Deus de Israel. Não houve igual a ele entre todos os reis de Judá depois ou antes dele.

Aderiu ao SENHOR e não se afastou de seus caminhos. Obedeceu aos seus mandamentos, que Moisés tinha recebido do SENHOR.

http://www.bibliacatolica.com.br/02/29/45.php

Isaías 45:

20. Vós que escapastes dentre as nações, reuni-vos e vinde para mais perto. Os que carregam ídolos de madeira são ignorantes, oram a um deus que não pode salvar.

21. Declarai, apresentai-vos, e enfim, deliberai: Quem noticiou isso lá no passado? Quem, desde então, o anunciou? Acaso não fui eu, o SENHOR? Não há Deus além de mim. Deus justo e salvador fora de mim não existe.

http://www.bibliacatolica.com.br/02/73/21.php

Apocalipse 21:

8. Quanto aos covardes, infiéis, corruptos, assassinos, devassos, feiticeiros, idólatras e todos os mentirosos, o lugar deles é o lago ardente de fogo e enxofre, ou seja, a segunda morte”.

BÍBLIA AVE MARIA

http://www.bibliacatolica.com.br/01/2/20.php

Êxodo, 20:
1. Então Deus pronunciou todas estas palavras:
2. “Eu sou o Senhor teu Deus, que te fez sair do Egito, da casa da servidão.
3. Não terás outros deuses diante de minha face.
4. Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra.
5. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto. Eu sou o Senhor, teu Deus, um Deus zeloso que vingo a iniqüidade dos pais nos filhos, nos netos e nos bisnetos daqueles que me odeiam,
6. mas uso de misericórdia até a milésima geração com aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.

http://www.bibliacatolica.com.br/01/5/4.php

Deuteronômio 4:

16. Guardai-vos, pois, de fabricar alguma imagem esculpida representando o que quer que seja, figura de homem ou de mulher,

http://www.bibliacatolica.com.br/01/21/113.php

Salmos 113:

9. (1) Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao vosso nome dai glória, por amor de vossa misericórdia e fidelidade.
10. (2) Por que diriam as nações pagãs: Onde está o Deus deles?
11. (3) Nosso Deus está nos céus; ele faz tudo o que lhe apraz.
12. (4) Quanto a seus ídolos de ouro e prata, são eles simples obras da mão dos homens.
13. (5) Têm boca, mas não falam, olhos e não podem ver,
14. (6) têm ouvidos, mas não ouvem, nariz e não podem cheirar.
15. (7) Têm mãos, mas não apalpam, pés e não podem andar, sua garganta não emite som algum.
16. (8) Semelhantes a eles sejam os que os fabricam e quantos neles põem sua confiança.

http://www.bibliacatolica.com.br/01/32/6.php

Baruc 6:

0. Cópia de uma carta dirigida por Jeremias aos prisioneiros que deviam ser deportados para Babilônia, pelo rei dos babilônios, para dar-lhes conta da mensagem que Deus o havia encarregado de transmitir.
1. É por causa dos pecados que cometestes contra Deus que ides deportados para Babilônia como prisioneiros, por Nabucodonosor, rei dos babilônios.
2. Quando chegardes a Babilônia, será para ficardes lá por muito tempo, durante longos anos, até sete gerações. Depois disso, porém, farei com que volteis em paz.
3. Ireis ver em Babilônia deuses de prata, ouro e madeira, deuses que são carregados aos ombros e que, não obstante, inspiram temor aos pagãos.
4. Quanto a vós, preveni-vos! Não imiteis esses estrangeiros, deixando que também o temor desses deuses se aposse de vós.
5. Quando virdes a multidão comprimir-se em torno deles para adorá-los, dizei no silêncio de vossos corações: É somente a vós, Senhor, que devemos adorar.
6. Porque meu anjo estará ao vosso lado, e poderia vingar-se na vossa vida.
7. A língua desses deuses é polida por um artista. Mas, apesar de dourados e prateados, são falsos e incapazes de falar.
8. Como se fora para uma donzela apaixonada por enfeites, eles pegam ouro
9. e confeccionam coroas para serem colocadas nas cabeças de suas divindades. Acontece, até, que os sacerdotes roubam o ouro e a prata para utilizá-los em proveito próprio,
10. ou para presentear prostitutas que mantêm em suas casas. Eles ataviam com lindas vestes, como se fossem homens (esses deuses) de prata, de ouro ou madeira,
11. enquanto estes nem mesmo são capazes de defender-se contra a ferrugem e os vermes. Vestem-nos de púrpura;
12. precisam, porém, tirar-lhes do rosto a poeira que neles se acumula.
13. Possui o deus um cetro como se fora governador de província; mas é incapaz de condenar à morte aqueles que contra ele se rebelam.
14. Ostenta na mão o machado e a espada, mas nem pode garantir-se contra um inimigo ou um ladrão. E disto se pode concluir que não são deuses. Não tendes por que temê-los.
15. Quando a ferramenta de um homem se quebra, perde a utilidade. Assim também acontece com seus deuses.
16. Se os colocardes num templo, enchem-se seus olhos da poeira erguida pelos pés dos visitantes.
17. Quando um homem ofende o rei, fecham-se atrás dele as portas da prisão, porque vai ser conduzido à morte. Assim os sacerdotes defendem os templos por meio de portas munidas de fechaduras e ferrolhos, a fim de impedir que ladrões venham roubar os deuses.
18. E acendem mais luzes do que eles mesmos precisam, enquanto que os deuses não podem vê-las,
19. porque são apenas quais vigas de seu templo, cujo coração está também corroído. E eles nem se apercebem dos vermes que fervilham no solo e que vêm devorá-los, assim como as suas vestes.
20. Escurece-lhes os rostos a fumaça que se desprende do templo.
21. Morcegos, andorinhas e outras aves esvoaçam em torno de seus corpos, e gatos saltam sobre eles.
22. De tudo isso podeis concluir que não são deuses, e que nenhum respeito lhes deveis.
23. O ouro que os reveste serve, sem dúvida, para embelezá-los mas, se não se polir o ouro, não brilham. E nem sentiram quando foram fundidos.
24. Foram comprados por preço exorbitante, quando neles nem sequer um sopro de vida existe.
25. Não possuindo pés, devem ser carregados aos ombros, revelando assim a todos a sua ignomínia. Bem mais, porém, seus servos deveriam envergonhar-se,
26. pois se algum deus vier a cair por terra, não poderá por si mesmo levantar-se; virá alguém repô-lo de pé, pois que é incapaz de qualquer movimento. E se o colocarem obliquamente, não poderá erguer-se. São como cadáveres ante as oferendas que lhes trazem.
27. Os sacerdotes, porém, vendem essas ofertas em proveito próprio, e suas mulheres as preparam, sem nada repartir com os pobres e os infelizes.
28. As mulheres em seu estado de impureza e que deram à luz tocam nesses sacrifícios. Portanto, bem podeis reconhecer que não são deuses. Não tenhais pois para com eles respeito algum.
29. Como poderiam eles ser chamados deuses? Pois há mulheres que tomam parte no culto desses ídolos de prata, de ouro e de madeira!
30. E nos seus templos, os sacerdotes assentam-se com as vestes rasgadas, descoberta a cabeça, cabelos e barbas raspados!
31. Gritam e clamam ante seus ídolos, como se fora no festim de um morto.
32. E roubam-lhes as vestimentas e com elas presenteiam suas mulheres e filhos.
33. São incapazes de retribuir, quer se lhes faça um bem ou um mal. Nem mesmo poderiam aclamar um rei ou destroná-lo.
34. Nem podem dar ricos presentes nem (a mais vil) moeda. Se alguém não cumprir os votos que lhes fez, nem podem protestar.
35. Tampouco lhes é dado proteger alguém da morte, como arrancar o fraco das mãos do mais forte.
36. Não possuem o poder de dar vista ao cego, nem de salvar alguém da miséria.
37. Não se compadecem da viúva e nenhum bem fazem ao órfão.
38. Quais pedras da montanha, são esses ídolos de madeira, dourada ou prateada, e seus servos deveriam envergonhar-se deles.
39. Como, pois, crer em tais deuses, e assim chamá-los?
40. Os próprios caldeus os afrontam. Quando se lhes apresenta um mudo, levam-no a Bel, suplicando-lhe que dê voz ao mudo, como se o deus pudesse ouvir alguma coisa.
41. E, embora saibam bem isso, não podem abster-se de assim agir, tão falhos que são de inteligência.
42. Mulheres, cingidas de corda, vão sentar-se à beira dos caminhos e aí fazem fumaça, queimando sementes.
43. Quando uma delas é levada por um transeunte e com ele dorme, zomba da vizinha por não haver recebido semelhante honra e não ter sido rompida a sua corda.
44. É apenas mentira tudo quanto se faz perante eles. Como se poderá, então, acreditar e proclamar que sejam deuses?
45. Foram confeccionados por artífices e ourives, e não poderiam ser diferentes do que o quiseram seus artífices.
46. E se estes não atingem idade avançada,
47. como poderia ser diferente a obra de suas mãos? Assim só deixam a seus descendentes engano e vergonha.
48. Sobrevenham guerras ou calamidades, e eis os sacerdotes a entrarem em conciliábulos a fim de saber aonde deverão ir ocultar-se com seus ídolos.
49. Como acreditar, então, que sejam deuses aqueles que são incapazes de se salvar da guerra ou de outra qualquer calamidade?
50. Mais tarde vir-se-á a saber que os ídolos de madeira dourada ou prateada são apenas engano. E aos olhos de todos os povos e de todos os reis tornar-se-á evidente que não são deuses, mas obras de mãos humanas, já que nada se encontra de divino neles.
51. Como, pois, poderá deixar de se tornar evidente que não são deuses?
52. Eles não podem entronizar um rei num país, nem dar chuva aos homens.
53. Nem sequer podem ainda julgar suas contendas, nem protegê-los contra os males (que lhes advenham), pois de nenhum poder dispõem, assemelhando-se a gralhas que esvoaçam entre o céu e a terra.
54. Se o fogo atinge o templo desses ídolos de madeira dourada ou prateada, seus sacerdotes procuram salvar-se, pondo-se ao abrigo, enquanto seus deuses são consumidos quais vigas no incêndio.
55. E não poderiam resistir nem a um rei nem aos inimigos. Como admitir, então, ou mesmo supor que possam ser tidos por deuses?
56. Esses deuses de madeira prateada e dourada nem mesmo podem defender-se contra os ladrões.
57. Mais fortes que eles, arrebatam-lhes o ouro e a prata e até as vestes de que foram cobertos, e se retiram sem que os deuses tenham podido defender-se a si mesmos.
58. Assim, melhor que a dos falsos deuses é a condição de um rei, que pode lançar mão de seu poder, ou a de um utensílio doméstico, do qual o dono pode servir-se, ou mesmo a da porta de uma casa, que protege o que dentro dela se encontra, ou ainda a da coluna de madeira no palácio real.
59. O sol, a lua e as estrelas, que brilham e se destinam à utilidade dos homens, obedecem de boa mente.
60. Assim também o relâmpago, tão belo ao faiscar; o vento que sopra sobre a terra
61. e as nuvens que recebem de Deus a ordem de percorrer toda a terra executam a missão que lhes foi imposta.
62. Quando o fogo é enviado do céu para consumir as florestas das montanhas, cumpre o que lhe foi ordenado. Nem a beleza, nem o poder dos ídolos podem igualar-se a essas maravilhas.
63. Eis por que não há motivo para crer nem proclamar que sejam deuses, já que não lhes é dado praticar a justiça junto aos homens nem lhes outorgar o bem.
64. Se admitis que não são deuses, não tenhais deles receio algum.
65. Eles não têm a faculdade de amaldiçoar os reis nem de abençoá-los.    66. Muito menos podem fazer com que no céu apareçam sinais aos pagãos; não brilham como o sol, nem alumiam como a lua.
67. Valem mais que eles os animais, pois, ao menos pela fuga, têm a faculdade de procurar a segurança num abrigo.
68. De maneira alguma, pois, se nos convence que eles sejam deuses. Por conseguinte, não os temais.
69. Assim como um espantalho em campo de pepinos, esses deuses de madeira dourada ou prateada de nada preservam.
70. Moita de espinhos num jardim, na qual vêm os pássaros pousar; cadáver lançado em lugar tenebroso, eis o que são esses deuses de madeira dourada e prateada.
71. Enfim, pela púrpura e pelo escarlate que sobre eles se desgastam pode-se reconhecer que não são deuses. Acabarão por ser devorados, e se tornarão desonra para sua nação.
72. Melhor é, portanto, a condição de um homem honesto que não tem ídolos, pois assim estará sempre isento de confusão.

http://www.bibliacatolica.com.br/01/12/18.php

II Reis 18:

1. No terceiro ano do reinado de Oséias, filho de Ela, rei de Israel, Ezequias, filho de Acaz, rei de Judá, começou a reinar.
2. Tinha vinte e cinco anos quando subiu ao trono, e reinou durante vinte e nove anos em Jerusalém. Sua mãe chamava-se Abi, filha de Zacarias.
3. Fez o que é bom aos olhos do Senhor, como Davi, seu pai.
4. Destruiu os lugares altos, quebrou as estelas e cortou os ídolos de pau asserás. Despedaçou a serpente de bronze que Moisés tinha feito, porque os israelitas tinham até então queimado incenso diante dela. (Chamavam-na Nehustã).
5. Ezequias pusera sua confiança no Senhor, Deus de Israel; não houve outro como ele, entre todos os reis de Judá, tanto entre os predecessores como entre seus sucessores.
6. Conservou-se unido ao Senhor, e nunca se desviou dele, e observou todos os mandamentos que o Senhor prescreveu a Moisés.

http://www.bibliacatolica.com.br/01/29/45.php

Isaías 45:

20. Vinde, reuni-vos todos, aproximai-vos, vós que fostes salvos dentre as nações! Nada disso compreendem aqueles que trazem seu ídolo de madeira, aqueles que oram a um deus impotente para salvar.

21. Fazei valer vossos argumentos, consultai-vos uns aos outros: quem havia predito o que se passa, quem o tinha anunciado desde longa data? Não fui eu, o Senhor, e nenhum outro? Não há Deus fora de mim.

http://www.bibliacatolica.com.br/01/73/21.php

Apocalipse 21:

8. Os tíbios, os infiéis, os depravados, os homicidas, os impuros, os maléficos, os idólatras e todos os mentirosos terão como quinhão o tanque ardente de fogo e enxofre, a segunda morte.

nivaldosalvo@yahoo.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: