Este Evangelho do Reino

Este Evangelho do Reino

Pr. Calvino Brasil

Há muito tempo tenho me preocupado com a situação de grande parte do evangelho que vem sendo pregado nos dias de hoje. Não quero ser critico negativista, mas sinto que precisamos abrir bem os olhos para podermos enxergar o mundo espiritual. Por um lado, vemos o avanço em todos os sentidos, da preparação para o estabelecimento do Império provisório da Nova Ordem Mundial, que terá curta duração, e por outro, vemos a diluição do evangelho de Jesus Cristo. Com o foco voltado para o capitalismo, o cristianismo tem perdido seu propósito. Desde as primeiras narrativas do início do Ministério de Jesus, encontramos o foco central da sua missão, que inclui o resgate das nossas vidas pelo sacrifício vicário, e a proclamação do Evangelho do Reino dos Céus.

Para dar sustentação bíblica a esta tese, deixarei alguns versículos que mostram com clareza o evangelho pregado por Jesus:

  • Mateus 4:16 e 17 > O povo que jazia em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região e sombra da morte, resplandeceu-lhes a luz. Daí por diante passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos porque está próximo o reino dos céus.
  • – Mateus 4;23 > Percorria Jesus toda a Galileia ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades entre o povo.
  • Mateus 5:3 > Bem aventurado os humildes de espírito porque deles é o reino dos céus.
  • Mateus 5:10 > Bem aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.
  • Mateus 5:19 > Aquele que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens,será considerado mínimo no reino dos céus; e aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus.
  • Mateus 5:20 > Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus.

Vou parar por aqui, pois é só seguir lendo que você encontrará muitos textos direcionando a essência do evangelho pregado por Jesus e pela igreja primitiva. Basta lembrar as parábolas ditas pelo Rei deste Reino.

  • Permita-me citar mais um versículo que tem uma importância vital neste contexto: >

Mateus 24; E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então virá o fim. O fim só virá quando “este” evangelho do reino for pregado para todas as nações.

Ao citar o pronome demonstrativo “este,” Jesus estava chamando a nossa atenção. Em tempos de apostasia e de esfriamento do amor, onde se prega um evangelho diluído voltado para dinheiro, estrelismo, competições denominacionalismos, importa que o EVANGELHO DO REINO seja pregado para todas as nações. E, o que é este evangelho do reino? Primeiro precisamos saber o que é um reino. Definição: Monarquia governada por um rei, domínio, âmbito. Reino, é um território que está sob o domínio de um rei que estabelece suas leis, cultura, língua e poder. O rei é soberano e sua vontade é lei.

O Brasil foi colonizado por Portugal. Como colônia, o Brasil fazia parte do reino de Portugal. O que se fazia aqui era ditado pelo trono do rei de Portugal. Numa colônia, o rei reina através de um representante. Estes representantes são cidadãos do reino e não cativos da colônia. Segundo Myles Munroe, de quem tenho aprendido muito sobre o evangelho do reino, Roma, enviava 300 cidadãos romanos juntamente com o governador da província para poder implantar a cultura e a língua do Império Romano naquela terra conquistada. Era como, colocar um pouco de fermento e misturá-lo à massa. Jesus nos ensinou isto na parábola do fermento que uma mulher mistura à farinha e assim, leveda toda a massa. É importante observarmos que a farinha não tem poder de influenciar o fermento, mas este leveda toda a massa. Mais adiante falaremos sobre o poder do fermento.

A determinação e propósito inicial de Deus é que sua vontade seja estabelecida na terra como é feita no céu. Na conhecida oração do “Pai nosso” Jesus ensinou; “Venha o teu reino.” Venha a tua vontade, venha o teu domínio, venha o teu poder, venha a tua cultura a esta colônia. A terra será o palco da glória de Deus. Veja Daniel 7:27 > “O reino e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todos o céu, serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será reino eterno, e todos os domínios o servirão e o obedecerão.” Este é o final da história, quando Deus tirar o domínio do anti-Cristo ( A Nova Ordem Mundial) e o entregar ao povo dos santos do Altíssimo). Jesus falou em Apocalipse 3:21 > “Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como eu venci, e me sentei com eu Pai no seu trono.”

Parece um outro evangelho, e é, realmente, outro evangelho, diferente do que está sendo pregado hoje. Paulo advertiu que se outro evangelho fosse pregado, deveria ser considerado como anátema. Jesus nuca pregou sobre cura, ele curou, Jesus nunca pregou sobre exorcismo, ele expulsou demônios, Jesus nunca pregou prosperidade, ele disse: > “Portanto não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos?ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas cousas; pois, o vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai pois, em primeiro lugar, o seu reino e sua justiça, e todas estas cousas vos serão acrescentadas.” Foi este o evangelho que Jesus pregou.

Qualquer estudioso da bíblia entende que o evangelho que pregamos hoje ainda está misturado com o romanismo pagão por um lado, e pelo judaísmo da Velha Aliança por outro. A Reforma Luterana não foi suficiente. Durante os últimos séculos pós-reforma, O Espírito Santo vem trazendo despertamentos e revelações, tentando trazer de volta a essência original do evangelho pregado por Jesus e pela igreja primitiva, que, diga-se de passagem, sofreu forte influência do Judaísmo. O Apóstolo Paulo foi acusado de pregar e ensinar contra Moisés e contra a lei. Ele mesmo nos ensinou que deveríamos “re-novar” a nossa mente, isto é; torná-la nova de novo, para podermos ser transformados e experimentarmos a perfeita vontade de Deus. Não tomar a forma deste sistema mundial, foi um imperativo para a Igreja. Hoje a coisa é diferente e quem estiver em busca de redescobrir o Reino de Deus, irá comparar o que se pregava na igreja primitiva e o que está sendo a prioridade hoje nas nossas igrejas.

ENTRETENIMENTO

Em alguns seguimentos, e não são poucos, a prioridade tem sido atingir as metas, especialmente, as metas financeiras. Templos suntuosos são arquitetados para proporcionar boa impressão e conforto para, consequentemente, haver o planejamento baseado na PNL (Programação Neuro Linguista) e assim tornar atrativo o espetáculo. E, haja música! Canta-se uma hora com a platéia de pé, depois o show se estende para as oportunidades aos cantores artistas fazerem suas apresentações, mais meia hora para o sermão sugestivo para se levantar uma gorda oferta. E o ensinamento bíblico? Bem, como a hora já está muito adiantada, a recomendação é que o pregador sacrifique a mensagem. Tem 15 minutos para falar do propósito de Deus para a humanidade. Você já participou ou tem participado de espetáculos maravilhosos como o acima citado? Depois chamam isso de CULTO. Tenho certeza que não inventei esta narrativa. Em lugar de culto, existe entretenimento. O cultuado é esquecido do mesmo jeito que o papai Noel assume o lugar do aniversariante no natal.

INSTABILIDADE

Estou citando estes exemplos, não com o propósito de criticar a acusar, mas para mostrar a realidade do evangelho de hoje. Já passou da hora de todos nós, que fazemos parte da liderança evangélica, despertarmos, para buscar arrependimento e voltarmos às práticas do primeiro amor, das primeiras obras. Já li muitas biografias de evangelistas que choravam clamando: – “Me dá almas ou eu morro!” O amor pelas almas perdidas marcava seus ministérios. Hoje, porém, o foco está em encher a igreja de sócios. Tenho certeza que não estou delirando.

A fidelização dos clientes, no entanto, precisa ser mais trabalhada. Existe uma migração desgraçada acontecendo, pois a concorrência está muito acirrada. Se não entrar no modismo, os sócios vão para onde está havendo uma novidade. Por isso que muitos estão tão ocupados em proporcionar entretenimento para atrair e segurarem os seus clientes. Pregar sobre santidade, pecado arrependimento, nem pensar! O estabelecimento, ou, igreja empresa, tem que oferecer vantagens e benefícios. Se você, querido líder, está seguindo esta prática, lembre-se: este não foi o evangelho pregado por Jesus. Lembre-se: Desde João Batista a mensagem era… Arrependei-vos! Veio Jesus e continuou dizendo: “Arrependei-vos porque é chegado o REINO DOS CÉUS!”

MINISTÉRIOS

Não desejo cair no erro de acusar pessoas, por isso, neste quesito, desejo apenas citar biblicamente as característica dos verdadeiros apóstolos. Na carta à Igreja de Éfeso, entre as qualidades daquela igreja estava a capacidade de discernimento e no verso 2 de Apocalipse 2, o Senhor Jesus falou: -”Conheço as tuas obras, assim o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar os homens maus, e que puseste à prova os que si mesmo se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos;” Acredito na restauração do ministério apostólico antes da volta de Jesus, mas o que vemos hoje é uma avalanche de apóstolos por toda a parte. Se fizermos uma comparação entre os apóstolos bíblicos e os de hoje, não encontraremos semelhança na forma de agir. Alguém poderá argumentar que estamos vivendo em outros tempos, mas isso não anula a essência da Palavra de Deus. O dom do apostolado é uma função no corpo de Cristo, hoje, é status, é elite. Não se conformando com o encargo de pastor, alguns se promoveram a bispos e posteriormente subiram para um patamar superior: apóstolo. Só está faltando aparecer algum papa. O luxo , a pompa o exagero financeiro na posse de carrões importados, jatinhos particulares, etc são a marca dos “apóstolos modernos.” Vejamos o que um verdadeiro apóstolo fala sobre o status do seu apostolado:

I Coríntios 4:9-13 > “Porque para mim me parece que Deus nos colocou a nós, os apóstolos em último lugar, como se nós fôssemos condenados à morte; porque nos tornamos espetáculos ao mundo, tanto a anjos como a homens. Nós somos loucos por causa de Cristo, e vós, sábios em Cristo; nós fracos e vós fortes; vós nobres e nós desprezíveis. Até a presente hora sofremos fome, e sede, e nudez; e somos esbofeteados e não temos morada certa, e nos afadigamos, trabalhamos com as nossas próprias mãos. Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, procuramos conciliação; até agora temos chegado a ser considerados LIXO do MUNDO, escória de todos.” (grifo meu) Este é o perfil do verdadeiro apóstolo. Este quadro entraQ em sintonia com o que Jesus ensinou quando estava havendo uma disputa de quem seria o maior; “Levantou-se entre eles uma discissão sobre qual deles seria o maior. Mas Jesus, sabendo o que lhes passava no coração, tomou uma criança, coloco-a junto a si, e lhes disse: Quem receber esta criança em meu nome, a mim me recebe; e quem receber a mim, recebe aquele que me enviou; porque aquele que entre vós for o menor de todos, esse é que é grande.” Acredito que isto seja suficiente para compararmos os apóstolos que são as estrelas e os que são o lixo.

PROPÓSITO: Ser Servo e obedecer!

Nunca devemos esquecer que existe o reino de Deus e o reino dos homens. Em Gênesis capítulo11, os homens começaram a ficar espertos e tentaram mudar o propósito de Deus e resolveram ser grandes e temidos pela redondeza. Verso 4: >”Disseram: Vinde, Edifiquemos para nós uma cidade cujo tope chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome para que sejamos espalhados por toda a terra.” Note que a rebeldia estava embutida na atitude deles. Eles não queriam obedecer a Deus. O propósito do Criador era que o homem crescesse e se multiplicasse para encher a terra. A semente da desobediência estava aflorando e a inspiração maligna instigava-os a ficarem estabelecidos em um só lugar. A vontade era, ‘ide” e a vontade opositora era, “fiquemos.” É assim que funciona. Deus quer estabelecer o Reino dos Céus aqui na terra e o homens que estabelecer o seu próprio reino. É evidente que esta vontade antagônica do homem tem um mentor. Satanás não quer perder o domínio adquirido na desobediência de Adão. No entanto, a segunda manifestação de rebeldia é mais forte. Eles disseram: “tornemos celebre o nosso nome.” Toda atitude que o homem possa fazer para se tornar estrela (e aqui estou falando de apóstolos), não tem a raiz no Reino de Deus. Quem quiser ser o maior, seja servo! Hoje vemos muitos impérios onde o maior propósito é tornar celebre o líder e a logomarca da torre. Quando você estuda a biografia dos avivalistas, descobre que eles clamavam pelas almas perdidas. Hoje o clamor é diferente. O alvo está nas ofertas e não nas vidas perdidas. Existem “grifes” que os pastores trabalham para atingir metas financeiras. Se não atingir a quantia estabelecida, o coitado marionete é transferido. O intuito deste trabalho não é criticar, mas mostrar que estamos vivendo em época de apostasia e que, na grande maioria, isto que está ai travestida de igreja, não faz parte do Reino dos Céus.

Você tem todo o direito de questionar: Mas eu tenho visto muitas bênçãos acontecendo. Para que isto fique mais claro, leia Mateus 7:15-23. Observe os versos 22 e 23> “ Muitos naquele dia, hão de dizer-me:Senhor, Senhor! Não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome, não expelimos demônios, e em teu nome, não fizemos muitos milagres? Então eu lhes direi explicitamente: Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniquidade.” Note que não são os sinais que identificam os verdadeiros líderes. Neste contexto está claro que são os frutos. Analise dois aspectos neste contexto: Primeiro: O encantadores do Egito também transformaram a vara em serpente. Está escrito que os falsos profetas fariam muitos sinais e, se possível fosse enganariam até os eleitos. Portanto não se iluda com os sinais. Aqueles obreiros fraudulentos, profetizaram, expeliram demônios e fizeram muitos milagres, mas ouvirão a pior sentença que um ser humano poderá ouvir: Apartai-vos!

O segundo aspecto está na palavra iniquidade. (…vós os que praticais a iniquidade). Você sabe o que significa a palavra iniquidade? Significa: Ato que não observa a equidade, perversidade. Equidade significa igualdade. A perversidade de haver julgo, autoritarismo, ditadura no lugar de liderança ou autoridade é semelhante a iniquidade. Este “alto clero” que pisa tudo e se alimenta da lã e da gordura do rebanho, precisa ser discernido. Lembre-se que o Anti´Cristo é chamado de iníquo. Há uma urgência em se desejar que o Reino dos Céus seja estabelecido na terra. O grande pecado daqueles milagreiros perversos foi o ato de não observar a igualdade. Deus não faz acepção de pessoas. Muitos se perderam prosseguindo pelo caminho de Caim (inveja assassina), e movidos pela ganância, se precipitaram no erro de Balaão (ganância e status perante o rei) e pereceram na revolta de Coré” ( rebelião contra a autoridade Divina). (grifo meu) Você encontra isto no livro de Judas que sugiro que seja lido na íntegra. Isto não faz parte do Reino dos Céus.

Finalizando, Quero deixar a chave para se discernir se um obreiro é de Deus. João 7:14-18 “Corria já em meio a festa, e Jesus subiu ao templo e ensinava. Então os Judeus se maravilhavam e diziam: Como sabe estas letras sem ter estudado? Respondeu-lhes Jesus: “O meu ensino não é meu, e, sim, daquele que me enviou. Se alguém quiser fazer a vontade dele, conhecerá a respeito da doutrina, se é de Deus ou se falo por mim mesmo. Quem fala por si mesmo, está procurando a sua própria glória; mas que procura a glória de quem o enviou,esse é verdadeiro e nele não há injustiça.” Este texto é rico em discernimento. Aqueles que são enviados por Deus, não procuram tornar célebre o seu nome nem o nome da sua denominação (grife espiritual). Eles procuram levar a glória para Deus que os enviou. O Reino de Deus é manifesto na terra quando os homens enviados por Deus trazem a sua vontade e executam os ensinamentos de quem os enviou. O reino dos homens, que recebe a inspiração maligna, procura holofotes. Não se preocupe pois importa que o evangelho seja pregado até mesmo por contenda ou disputa. Deus usa atá uma jumenta, lembra-se?

O Apóstolo Paulo nos ajudará a por um ponto final nesta discussão. Veja o que ele disse em 2 Cor. 4:5 “Porque não nos pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus com Senhor, e a nós mesmos como ‘vossos servos’ por amor de Jesus. (grifo meu) Se o homem que se denomina apóstolo é servo da igreja, amém> Se é a estrela, é bom buscar encontrar nele frutos de arrependimento. A Igreja de Éfeso sabia discernir os falsos apóstolos pondo-os á prova até descobrir que eram mentirosos. (ver Apocalipse 2:2) Atenção: Este julgamento era feito pela Igreja e não por qualquer pessoa. Era o Corpo expelindo os vírus e bactérias, isto é; os corpos estranhos. Cuidado para não fazer um julgamento pessoal e cair num erro maior. A Igreja deve julgar os falsos profetas e falsos apóstolos. Se a igreja não tem este discernimento, sua opção é sair dela. Procure uma direção do Senhor. Alguns poderão até se escandalizar comigo, mas não encontrei nenhum mandamento bíblico que nos ordene seguir a falsos profetas, falsos apóstolos, falsos pastores. Aqueles que se alimentam da lã e da gordura das ovelhas. É por isto que estou querendo alertar que está sendo pregado outro evangelho e precisamos ficar atentos. Ore bastante pelos líderes da sua igreja para que não caiam na tentação do estrelismo secular capitalista. Existem três coisas que mais derrubam os homens de Deus: Mulher, dinheiro e poder. Veja o histórico daqueles que caíram se uma destas três causas não está presente! Ore para que o seu líder não se deixe enganar.

Os Trabalhadores da Última hora

“Porque o reino dos céus é semelhante a um homem, pai de família, que saiu de madrugada a assalariar trabalhadores para a sua vinha…”

Assim Mateus inicia o capítulo 20 do seu evangelho. Note que as parábolas de Jesus sempre começam com citações do seu reino. Desde os trabalhadores da primeira hora houve um acerta antecipado estipulando o valor do trabalho. (um denário) Na terceira hora, também acertou o mesmo preço com os trabalhadores convocados. Perto da sexta hora, fez o mesmo. Na última hora do dia, contratou alguns que estavam ociosos porque não haviam encontrado quem os assalariassem. Veja a narrativa de Mateus o que aconteceu na hora do pagamento: “ Ao cair da tarde, disse o senhor da vinha ao seu administrador: Chama os trabalhadores e paga-lhes o seu salário, começando pelos últimos indo até os primeiros. Vindo os da hora undécima, recebeu dada um deles um denário. Ao chegarem os primeiros, pesaram que receberiam mais; porém, também estes receberam um denário cada um. Mas, tendo-o recebido, murmuraram contra o dono da casa, dizendo: estes últimos trabalharam apenas uma hora; contudo os igualaste a nós que suportamos a fadiga e o calor do dia.(grifo meu para chamar a atenção sobre o espírito que está por trás desta murmuração) Mas o proprietário respondendo disse a um deles: Amigo, não te faço injustiça; não combinaste comigo um denário? Toma o que é teu e vai-te; pois quero dar a este último, tanto quanto a ti. ( Abro outro parêntesis para lhe perguntar quem é o senhor desta parábola. O empregador, ou o servo? Entenda: quando estamos querendo ensinar ao Senhor o que ele deve fazer no seu reino, alguma coisa está errada. Vamos continuar o texto bíblico) Por ventura não me é lícito fazer o que eu quero do que é meu? Ou são maus os teus olhos porque eu sou bom? Assim, os últimos serão primeiros, e os primeiros serão últimos.[ porque muitos são chamados mas poucos escolhidos]. Mateus 20; de 8-16. Enquanto não entendermos que o rei é o Senhor e faz o que ele que fazer no seu reino, estamos fora dele. Ou então, ele esta fora de nós. Em Apocalipse 3:20 encontramos: “ Eis que estou à pota e bato…) esta é a realidade vivenciada nos dias de Hoje. O Rei esta do lado de fora querendo cear conosco, querendo ser o cabeça da igreja, querendo que os seus preceitos sejam mais poderoso que os estatutos da denominação. Esta é a realidade da Igreja morna. Será que é tão difícil entender isto? Ou é mais cômodo preservar as tradições dos homens?

Tradições dos homens

Será que iremos continuar no mesmo engano dos sacerdotes romanos que sabem que Deus abomina adoração a ídolos e ficam omissos porque a ordem superior determina que não devem quebrar as tradições (mesmo sendo abomináveis) para não perderem os fiéis? Quem é o cabeça da Igreja? Citarei dois exemplos somente para que possamos entender que precisamos voltar urgentemente para os ensinamentos bíblicos: Um pastor visitante pediu que a igreja aplaudisse a Jesus. O pastor presidente, exaltado, desaprovou o fato e questionado que bater palmas estava na bíblia, ele foi enfático e disse: Mas aqui, nesta igreja, enquanto eu for pastor é para obedecer às minhas órdens. O Nosso estatuto não permite e pronto! Pergunto: Isto é o reino e a vontade de Deus? Recentemente eu estava ouvindo uma rádio evangélica e o tema era: A necessidade dos usos e costumes na igreja. O pastor que estava “doutrinando” a igreja e isto em um programa aberto a todos, Afirmava que: na nossa denominação estamos voltando ao princípio da santidade e que os crentes deveriam ser diferentes do mundo. O locutor perguntou: – Mas pastor, a ordenança de usos e costumes não está na bíblia, como fica este ensinamento? A resposta foi de doer o coração: – Nós não devemos seguir só a bíblia. Temos as nossas tradições. Desliguei o rádio para não pecar. Desculpe-me mas tenho que colocar um texto da Constituição do Reino de Deus para que não seja a minha palavra mas o ensinamento do apóstolo Paulo: Colossenses 2: 16-19. “Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das cousas que haviam de vir; porém o corpo é de Cisto. Ninguém se faça árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos, baseando-se em visões, enfatuado sem motivo algum na sua mente carnal, e não retendo a Cabeça da qual todo o corpo, suprido e bem vinculado por suas juntas e ligamentos, cresce o crescimento que procede de Deus.” Meus amados, precisamos discernir que existe o crescimento que não procede de Deus. A cultura do povo judaico e do Antigo Testamento não são aplicáveis na Nova Aliança. Ninguém sacrifica animais nos dias de hoje Outra coisa que precisamos deixar bem claro é que Cristianismo não é Judaismo.Vamos continuar o texto de colossenses 2: v. 20-23. “Se Morreste com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças: Não manuseies isto, não toques aquiloutro, segundo os preceitos e doutrinas dos homens? Pois que todas estas cousas, com o uso, se destroem. Tais cousas, com efeito, tem aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e falsa humildade; todavia, não tem valor algum contra a sensualidade.” (Grifo meu) Existe uma escolha: Ou nós entendemos a liberdade do Espírito, ou vivemos presos e escravos das tradições dos homens, e isto não é o Reino de Deus. Paulo foi muito claro neste conceito. O que está diferente disto é outro evangelho. Não se deixe enganar. Se você é um líder, reveja que evangelho você está pregando. Cuidado para não ser contado entre aqueles que disseram: “Não queremos que este reine sobre nós” Lucas 19:14. Leia toda a parábola que se inicia no verso 11. Estamos precisando ler mais a bíblia!

É muito forte o que veremos agora:

Mudança de Sacerdócio

Peço que você redobre a sua atenção e peça ao Espírito Santo que lhe ilumine revelando aquilo que ele quis ensinar sobre esta mudança. Para aqueles que são estudiosos da bíblia, sugiro um estudo profundo na epístola aos Hebreus. No Capítulo 5 verso 12 nós lemos: “ Pois, com efeito, quando devíeis ser mestres, atendendo ao tempo decorrido, tendes novamente necessidade de alguém que vos ensine de novo quais são os princípios elementares dos oráculos de Deus; assim vos tornastes como necessitados de leite, e não de alimento sólido.” Parece que o escritor desta epístola pegou pesado. Ele continua apertando: v. 13. “Ora, todo aquele que se alimenta de leite, é inexperiente na palavra da justiça, porque é criança. Mas o limento sólido é para os adultos, para aqueles que, pele prática, Tem suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem mas também o mal.”

Quantas pessoas continuam 10, 20 anos na igreja e continuam crianças! Toda essa prensa porque ele estava falando sobre um assunto controverso. Voltando ao verso 11, encontramos o motivo da exortação. Falta de percepção espiritual. Veja só: “ A esse respeito, temos muitas cousas que dizer, e difíceis de explicar, por que tendes tornado tardios em ouvir,” No livro de Apocalipse encontramos várias vezes a sentença: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça o que o Espírito diz às igrejas.”

A esse respeito…Qual era o assunto que estava sendo exposto? A respeito de Que? Para entendermos melhor, precisamos voltar no contexto. O tema aqui é sacerdócio. Depois de discorrer acerca do sacerdócio, o autor entra com uma nova revelação. Jesus, que não era da tribo de Levi, é posto como sacerdote. A Lei rezava que só podia ser sacerdote um descendente de Levi e Jesus era da tribo de Judá. Como explicar isto para os filhos de Abraão? Na realidade, ele estava falando a respeito de outro Sacerdócio. V. 5: “Assim, também Cristo a si mesmo não se glorificou para se tornar sumo sacerdote, mas aquele que lhe disse: Tu és meu Filho, eu hoje te gerei;Tu és sacerdote para sempre segundo a ordem de Melquisedeque.” Ordem de Melquisedeque? Então além da Ordem de Aarão existe outra Ordem? Eis a questão. O verso 10 diz explicitamente: “tendo sido nomeado por Deus sumo sacerdote, segundo a Ordem de Melquisedeque” Era muito para a cabeça deles. Era alimento sólido para que só se alimentava de leite. Na versão Revista e Atualizada da Sociedade Bíblica do Brasil, encontramos o subtítulo “O sacerdócio levítico teve fim, mas o de Cristo é eterno para o texto encontrado em Hebreus,7:11-19. Veja o ensinamento: “Se, portanto, a perfeição houvesse sido mediante o sacerdócio levítico (pois nele baseado o povo recebeu a lei), Que necessidade haveria ainda de se levantar outro sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, e que não fosse contado segundo a ordem de Aarão?” v. 12 “Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei.” Você está entendendo? Mudança de sacerdócio e mudança de Lei? Veja o que ele diz nos versos 18 e 19: “portanto, por um lado, se revoga a anterior ordenança, por causa da sua fraqueza e inutilidade (pois a lei nunca aperfeiçoou

cousa alguma) e, por outro lado, se introduz esperança superior pela qual chegamos a Deus.”(grifos meus)

Está fácil ou difícil para digerir? Lei fraca e inútil, que nunca aperfeiçoou cousa alguma e que precisa ser substituída? E não está escrito que não cairá um til da lei? Claro que está escrito e na realidade, não cairá mesmo! Então, como explicar isto? A lei permanece, mas em Cisto nós fomos resgatado da maldição da lei.(Gálatas 3:13), entende? Nós estamos sobre a lei. “ Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. Porque a lei do Espírito da vida te livrou da lei do pecado e da morte.(Romanos 8:1,2) Será que agora está mais fácil de entender? E, quando Jesus disse em Lucas 16:16: “A lei e os profetas vigoraram até João; desde esse tempo vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça por entrar nele.” Esta não foi fácil para os judeus. Será que eles entenderam? E, para nós? Segure firme aí que vou lhe mostrar porque os judeus perseguiam o apóstolo Paulo: Veja o ocorrido quando Paulo chegou em Jerusalém pela última vez: Depois de ser recebido com alegria pelos irmãos, no dia seguinte, encontrou-se com Tiago, a quem narrou as maravilhas feitas por Deus por seu intermédio e em Atos 21:20-21 “Ouvindo-o, deram ele glória a Deus e lhe disseram: Bem vês, irmão Quantas dezenas de milhares há entre os judeus que creram, e todos são zelosos da lei; e foram informados a teu respeito que ensinas todos os judeus entre os gentios a apostatarem de Moisés, dizendo-lhes que não devem circuncidar os filhos nem andar segundo os costumes da lei.” Para encurtar a história, fizeram até jejum como voto para matar a Paulo. O Cristianismo choca com o Judaismo porque ele é regido pela graça e pela lei do Espírito e da vida e não por ordenanças. Ou a igreja assume a Nova Aliança que é baseada no sangue de Jesus ou se perde nos costumes e tradições judaicas. Hoje, dois mil anos depois, não sabemos o que é o sacerdócio de Melquisedeque e vivemos aprisionando os irmãos debaixo de pretexto totalmente fora do contexto original do evangelho de Reino dos céus que Jesus veio anunciar.No próximo capítulo veremos algo sobre o sacerdócio de Melquisedeque, do qual Jesus é sumo sacerdote. Continua

4 responses to this post.

  1. Olá, gostei muito de seus artigos, gostaria de te convidar para partipar de uma rede de troca de conteúdo, para mais detalhes me adiciona no msn co_herdeiro@hotmail.com ou me manda um email ok. Abraços. Samuel

    Responder

  2. Posted by almeida on 01/07/2010 at 04:17

    Olá, pastor Calvino: Palavra de Deus!
    Gostaria de ler a continuação e de saber mais a respeito da ordem de Melquizedeque.
    Deus continue abençoando ao irmão!

    Responder

    • Posted by clubedavida on 17/07/2010 at 12:50

      Almeida, Este tema é fascinente e escrevi um livro sobre ele. Está esgotado,mas em poucos dias darei um jeito de colocá-lo no blog. O livro se chama: “Jesus o Sumo Sacerdote da Ordem de Melquisedeque”

      Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: